MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contacts  separator  Help  separator  Links  separator  Site Map
 
Tuesday, January 25, 2022    INTRODUCTION    ORIENTED RESEARCH    ADVANCED RESEARCH    ONLINE EXHIBITIONS    INVENTORY GUIDELINES 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
OBJECT DETAILS
Museum:
Museu Nacional Soares dos Reis
Inventory number:
107/ 54 Pin MNSR
Supercategory:
Arte
Category:
Pintura
Name:
Vesúvio (estudo)
Date / Period:
1882 A.D
Holder:
Madeira
Technique:
Óleo
Measurments (cm):
height: 9,8; width: 16,4;
Description:
Representação de um trecho de paisagem com grande profundidade e em que o objecto da composição é o vulcão Vesúvio, um monte azul visível ao fundo, que preenche o quadro em toda a largura. O primeiro plano é extenso, preenchendo quase dois terços do quadro, e é composto por três áreas cromáticas com marcação de perspectiva: uma mancha centrada, cinzenta, correspondente a um caminho que se desenvolve em direcção ao vulcão, ladeada, à esquerda, por um campo trabalhado em tonalidades de ocre e, à direita, um campo verde. No enfiamento do caminho, sensivelmente ao centro da composição, uma mancha vermelha de uma pequena edificação assume um protagonismo cromático principal. O topo do vulcão, que é também o limite da composição, é coberto por nuvens de fumo revolto, tratado em tonalidades de cinzento. Um dos aspectos mais assinaláveis desta composição é o seu carácter de apontamento rápido, que não atende ao pormenor descritivo dos elementos representados, e a exiguidade de tinta aplicada que assim deixa ver a preparação do suporte e dá transparência às cores.
Incorporation:
Outro - Fundo Antigo do Museu proveniente da Escola de Belas Artes do Porto (antiga Academia Portuense de Belas Artes).
Origin / History:
Pertence ao Fundo Antigo do Museu: o antigo Museu Portuense, criado em 1833, passa a ser tutelado por uma Comissão de professores da Academia de Belas Artes do Porto, a partir de 1839, e as duas instituições passaram a partilhar o mesmo espaço e tutela. Em 1932 é feita a partilha do acervo existente pelas duas instituições, o Museu Soares dos Reis (antigo Museu Portuense) e Escola de Belas Artes (antiga Academia): dessa divisão foi registada uma “Relação dos objectos existentes no Museu Soares dos Reis pertencentes ao Estado”, datada de 1 de Novembro de 1932 e firmada por João Marques da Silva e por Vasco Valente, respectivamente, director da Escola de Belas Artes e do Museu Soares dos Reis. Após a morte de Henrique Pousão, em 25 Março de 1884, o seu pai, o juiz Francisco Augusto Nunes Pousão, a exercer funções em Odemira, reuniu toda a obra do artista que se encontrava dispersa entre familiares e amigos, mandou emoldurar todos os quadros que pode reunir, mais tarde foi transferido para Faro e levou consigo toda a obra que reunira. F. Fernandes Lopes escreve a esse propósito que Nunes Pousão “tinha tudo no seu escritório, cujas paredes estavam assim forradas com quadros do filho. Encontrava-se ali tudo o que fora a sua produção artística em Pintura, excepto naturalmente o que anteriormente enviara para a Academia do Porto ou teria sido vendido a raros particulares, que lhe haveriam feito encomendas, ou ainda de amigos ou pessoas de família a quem fizera ofertas…” V. em Bib. LOPES, Francisco Fernandes [1959], p. 98, 99. Após a morte do Juiz Nunes Pousão, em 2 de Agosto de 1888, em cumprimento da sua vontade, as obras foram entregues, pela viúva, à Academia Portuense de Belas Artes em cujo arquivo se guarda a relação sucinta de obras e objectos então entregues “Relação dos quadros, desenhos e mais objectos que faziam parte do espólio de Henrique Pousão.” AFBAUP. Uma lista mais detalhada seria posteriormente redigida na própria Academia AFBAUP Documento avulso, sem cota, e Correspondência para o Governo, 1837-1911 [130, 21 Set. 1889, fla. 50 v].
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Terms & Conditions  separator  Credits