MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contacts  separator  Help  separator  Links  separator  Site Map
 
Sunday, April 18, 2021    INTRODUCTION    ORIENTED RESEARCH    ADVANCED RESEARCH    ONLINE EXHIBITIONS    INVENTORY GUIDELINES 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
OBJECT DETAILS
Museum:
Museu Nacional de Arte Antiga
Inventory number:
13/51v. Ilum
Supercategory:
Arte
Category:
Pintura
Name:
Livro de Horas
Title:
Ofício dos Mortos
Author:
Oficina de Simon Bening
Workshop:
Oficina de Simão Bening
Date / Period:
1530 A.D - 1534 A.D
Holder:
Pergaminho
Technique:
Pintura a têmpera e ouro
Measurments (cm):
height: 13,3; width: 9,8;
Description:
Fólio 51 verso. Este fólio inicia o Ofício dos Mortos. A iluminura tem um enquadramento à maneira moldura, em tons de castanho e dourado, a imitar a madeira. No quadro principal, é representado o "ideal da boa-morte" do encomendador. Este está deitado numa cama que assenta num estrado e com um dossel de pano verde. O senhor segura na mão direita um círio aceso, sendo assistido por religiosos franciscanos. No primeiro plano, o frade à direita segura um crucifixo e o outro religioso um livro. Do outro lado da cama, um dos frades segura na mão a mitra do celebrante, e outro o báculo, enquanto outros seguram também velas na mão. Esta cerimónia é presenciada por várias pessoas. Ao fundo, num pequeno altar, coberto por uma toalha branca, uma custódia em ouro, contém a hóstia consagrada. Esta é ladeada por uma cortina rosa. De ambos os lados, duas janelas com vidros. O chão do quarto é em mosaico e entre os dois religiosos, em primeiro plano, está um banco com uma caldeira de água-benta. Na traja que envolve a moldura é representado um motivo que imita um brocado.
Incorporation:
Transferência - Palácio das Necessidades
Origin / History:
Este Livro de Horas é tradicionalmente atribuído à Oficina de Simão de Bening. Esta atribuição resulta dos estudos comparativos com outras obras realizadas por este iluminador, como o Breviário de Grimani (Biblioteca Marciana, Veneza). Quanto ao destinatário, alguns estudiosos relacionam este códice como uma oferta de Damião de Góis a D. Catarina, e outros como pertencente ao infante D. Fernando. Ambas as posições podem ser contestadas pela representação das Armas Reais Portuguesas no fólio 1v. Dagoberto Markl avança com a hipótese de se tratar de uma encomenda do próprio rei, D. João III. Segundo a inscrição no fólio 1v., a actual encadernação foi feita em Paris, em 1755. Este Livro de Horas, pertencente às Colecções Reais, foi transferido para o Museu Nacional de Arte Antiga, proveniente do Palácio das Necessidades, no arrolamento dos bens reais.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Terms & Conditions  separator  Credits