MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
quinta-feira, 23 de maio de 2019    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional Machado de Castro
N.º de Inventário:
2515;P17A
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Título:
Aparição de Cristo à Virgem / Tríptico da Aparição de Cristo à Virgem
Autor:
Garcia Fernandes (act.1514-1565)
Datação:
1531 d.C.
Suporte:
Madeira de carvalho
Técnica:
Óleo
Dimensões (cm):
altura: 121,8; comprimento: 99;
Descrição:
Painel central do Tríptico da Aparição de Cristo à Virgem, atribuído a Garcia Fernandes. Em primeiro plano, ao centro, Cristo ressuscitado (à esquerda) aparece a Sua Mãe (à direita). Os seus braços cruzam-se marcando o eixo vertical da composição. O tronco inclinado de Cristo deixa ver, através da larga janela, em fundo de paisagem, uma sequência de episódios - narrativas secundárias- dos quais a Ressurreição (ao centro) é o primeiro, seguindo-se a Descida ao Limbo (à esquerda), de seguida o Encontro a Caminho de Emaús (ainda do lado esquerdo) e finalmente a Aparição a Maria Madalena (à direita). No lintel do arco foi inscrita a data de 1531. Esta tábua testemunha a adesão do pintor aos modelos italianos quer no alongamento das figuras e nas poses individualizadas e delicadas quer no tratamento dos panejamentos. No entanto os modelos tardo-góticos permanecem, por exemplo na representação de cenas secundárias.
Incorporação:
Transferência - Conventos extintos. Convento de Santa Clara, Coimbra
Origem / Historial:
*Forma de Protecção: classificação; Nível de Classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei nº 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; Nº 19/2006; 18/07/2006*
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica