MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
sábado, 15 de dezembro de 2018    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional Machado de Castro
N.º de Inventário:
2515;P17A
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Título:
Aparição de Cristo à Virgem / Tríptico da Aparição de Cristo à Virgem
Autor:
Garcia Fernandes (act.1514-1565)
Datação:
1531 d.C.
Suporte:
Madeira de carvalho
Técnica:
Óleo
Dimensões (cm):
altura: 121,8; comprimento: 99;
Descrição:
Painel central do Tríptico da Aparição de Cristo à Virgem, atribuído a Garcia Fernandes. Em primeiro plano, ao centro, Cristo ressuscitado (à esquerda) aparece a Sua Mãe (à direita). Os seus braços cruzam-se marcando o eixo vertical da composição. O tronco inclinado de Cristo deixa ver, através da larga janela, em fundo de paisagem, uma sequência de episódios - narrativas secundárias- dos quais a Ressurreição (ao centro) é o primeiro, seguindo-se a Descida ao Limbo (à esquerda), de seguida o Encontro a Caminho de Emaús (ainda do lado esquerdo) e finalmente a Aparição a Maria Madalena (à direita). No lintel do arco foi inscrita a data de 1531. Esta tábua testemunha a adesão do pintor aos modelos italianos quer no alongamento das figuras e nas poses individualizadas e delicadas quer no tratamento dos panejamentos. No entanto os modelos tardo-góticos permanecem, por exemplo na representação de cenas secundárias.
Incorporação:
Transferência - Conventos extintos. Convento de Santa Clara, Coimbra
Origem / Historial:
*Forma de Protecção: classificação; Nível de Classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei nº 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; Nº 19/2006; 18/07/2006*
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica