MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
terça-feira, 19 de outubro de 2021    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional de Arqueologia
N.º de Inventário:
2006.355.1
Supercategoria:
Arqueologia
Categoria:
Escultura
Denominação:
Figura masculina anguípeda
Datação:
III d.C. - Época Romana
Matéria:
Mármore
Dimensões (cm):
altura: 54 cm; largura: 29,5 cm; espessura: 14 cm;
Descrição:
Estátua incompleta de figura masculina despida. Falta-lhe o antebraço esquerdo e o braço direito completo, assim como a extremidade inferior direita e boa parte da esquerda, que acaba de forma recta para apoiar em pedestal de sustentação. O corpo está voltado para a esquerda e apresenta um apoio no ombro esquerdo que sugere a existência de um objecto sustentado com esse mesmo braço, eventualmente uma "buccina". A posição do corpo e da parte conservada dos braços faz pensar na identificação desta figura como elemento de um ciclo composto por outras esculturas em que há uma intencional representação de movimento. De acordo com a tipologia dos seus elementos anatómicos pode ser enquadrado dentro do grupo iconográfico dos gigantes de carácter anguípedo. Tendo em conta o contexto de ninfeu em que se inseria esta escultura, poderá ser também identificado como tritão, sendo de salientar a evidente "contaminatio" entre este tipos iconográficos gigante / tritão. Na Península Ibérica o paralelo mais próximo desta peça é o gigante de Valdetorres de Jarama (Puerta, Elvira e Artigas, 1994), directamente relacionado com o grupo de Silahtaraga na actual Turquia (Chaisemartin 1984).
Incorporação:
Outro - Depósito temporário.
Proveniência:
Quinta das Longas
Origem / Historial:
Peça descoberta durante a 9ª campanha de trabalhos arqueológicos na Villa Romana de Quinta das Longas, no Verão do ano 2000. Um dos mais impressionantes traços da singularidade desta villa evidenciou-se com a descoberta de um grupo escultórico composto por várias figuras quase completas e cerca de uma centena de fragmentos. As peças faziam parte de um vasto conjunto que adornava uma área de um pátio pavimentado a mármore e a xisto, sobranceiro a uma linha de água, que limitaria a norte a Pars urbana da Villa. O conjunto estava incluido numa cascata artificial adoçada à parede meridional do referido pátio e/ou sobre o alpendre construído no centro deste compartimento apresentando como elemento unificador uma frondosa ramagem que perpassava por detrás de toda a cena, ligando-se às esculturas, sendo raras aquelas que não apresentam marcas da ligação a esse fundo vegetalista.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica