MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional Soares dos Reis
N.º de Inventário:
149 Tex MNSR
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Traje
Denominação:
Vestido de Senhora
Datação:
XIX d.C. - XX d.C.
Matéria:
Seda (veludo). Crepe de seda (gola). Fio de seda (bordados). Metal (lantejoulas). Algodão (forro).
Técnica:
Veludo. Crepe. Cetim. Tafetá. Renda. Tule. Bordados em diversos pontos.
Dimensões (cm):
altura: 42 cm (corpete); 155 cm (saia com a cauda);
Descrição:
Vestido de senhora composto por duas peças: casaquinha e saia com cauda. Em veludo de seda de cor negra, bordado com diversos pontos, a fio de seda da mesma cor e lantejoulas de diversos formatos, em tonalidades igualmente negras, que variam conforme os cambiantes de luz. Decorado ainda com rendas e com recortes de tule. A casaquinha é bordada na totalidade, com desenho mais miudo do que apresenta a saia. Aperta à frente, com colchetes, e remata no decote por um folhinho de crepe de seda beige. Tem mangas de balão, justas na parte inferior a seguir ao cotovelo. Estas mangas podem ficar curtas ou compridas, conforme o pretendido. Ou seja, por intermédio de colchetes, colocados à altura do cotovelo, podemos adicionar ou destacar, a parte das mangas mais justa. Conserva uma grande aba nas costas, em tafetá negro, que originalmente ficaria interior, tapada pela saia, e que provavelmente se destinaria a cobrir a armação traseira, que a moda da época exigia. No interior tem fita com a assinatura Aline de Neuville, bordada. A saia tem cauda pronunciada e o mesmo tipo de decoração, mas menos profusa e com motivos florais maiores, sobretudo os recortados em tule, que são salientados pelo tafetá interior, em tom claro. A decoração deste vestido, negro sobre negro, recorrendo a variados materiais, e, consequentemente, a diferentes texturas - rendas, tules, vários pontos de bordado, lantejoulas de variados formatos – confere-lhe gradações de cor e de brilho, que o tornam sumptuoso.
Incorporação:
Doação - Doação da familia Abreu Lima, ao Museu Nacional de Soares dos Reis. Efectuada por João Abreu Lima, em representação dos seus irmãos. O vestido era de sua trisavó, Sofia Cândida Rooke
Origem / Historial:
Tem assinatura de Aline Neuville, prestigiado atelier de alta costura, em Lisboa, na Rua do Chiado. A título de curiosidade, a Rainha D. Maria Pia era cliente desta modista de origem francesa, facto que atesta a qualidade desta casa, sabendo-se que a rainha era grande apreciadora da moda francesa e exigente compradora de requintadas peças. Dada a época da sua criação, e tendo em conta a sua proprietária, não é descabido pensar que tenha sido usado em receções oficiais no então Palácio Real do Porto (onde hoje se encontra instalado o Museu Nacional de Soares dos Reis) oferecidas pelos reis D. Luís e D. Maria Pia, ou D. Carlos e D. Amélia, ou mesmo pelo último rei, D. Manuel II, já que todos eles aqui se instalaram, por curtos períodos de tempo, até à implantação da República. Foi oferecido ao Museu em 2018, por João Abreu Lima e seus irmãos, em 2018, trinetos da proprietária, Sofia Cândida Rooke.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica