MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
terça-feira, 25 de janeiro de 2022    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional de Arqueologia
N.º de Inventário:
17099
Supercategoria:
Arqueologia
Categoria:
Instrumentos e utensílios
Denominação:
Dedal
Autor:
Desconhecido
Grupo Cultural:
Islâmico
Datação:
XII d.C. - XIII d.C. - Idade Média - Contexto islâmico
Matéria:
Bronze
Técnica:
Metal fundido e gravado
Dimensões (cm):
altura: 4,5; diâmetro: base: 2;
Descrição:
Dedal de bronzel de forma troncocónica, ponteaguda numa das extremidades tendo um orifício na outra. Decoração gravada. A faixa circundante do orifício da base decorada com dois sulcos paralelos. Segue-se uma faixa com motivos ondulados gravados delineada por dois sulcos. A restante superfície decorada com ponteado delimitado por dois sulcos, sendo a ponta do dedal decorada com motivos geometrizantes. Dedal feito em liga de metal, onde o elemento principal é o cobre.
Incorporação:
Compra - Adquirido por Leite de Vasconcellos. Pertenceu à colecção do Prior de Salir.
Proveniência:
Desconhecido
Origem / Historial:
Dedal de proveniência desconhecida, muito provavelmente encontrado no Algarve, sendo desconhecidos os pormenores do achado. Pertenceu à colecção de antiguidades, reunida por Prior de Salir, um conhecido arqueólogo amador e coleccionador algarvio, na qual figuravam também outras peças da época islâmica. A sua coleccção foi adquirida depois da sua morte por Leite Vasconcellos ao irmão do falecido, Pedro Teixeira, em 29 de Junho de 1913 pela quantia de quarenta mil reis. Este dedal figurou na Exposição do 1º Centenário da Carta Archeologica do Algarve dado como proveniente do acervo do extinto Museu Archeologico do Algarve, informação que não encontra confirmação na documentação do MNA. As dimensões deste dedal bem como a sua robustez indicam que se trata de um dedal de talabarteiro para executar trabalhos em couro tais como selas, correias, talins, ajaezes etc. Este tipo de dedais surge com frequência em diversos sítios de al-Andalus. Em Portugal foram recolhidos vários exemplares análogos provenientes do Alentejo (Mértola, Castro da Cola) assim como do Algarve. No acervo do MNA existem peças congéneres encontradas em Silves, nºs Inv. 15442, 15443 e 17031 e ainda de proveniência desconhecida nº Inv. 17098. As dimensões deste exemplar assim como o tipo de decoração encontram paralelos noutras peças conhecidas, um indicador claro de padronização dos productos industriais. Estudo da peça: Eva - Maria von Kemnitz
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica