MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 23 de janeiro de 2022    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Palácio Nacional da Pena
N.º de Inventário:
PNP2760
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Vidros
Denominação:
Painel de vitral
Título:
Crucificação de Cristo
Centro de Fabrico:
Alemanha
Datação:
XV d.C. - XVI d.C.
Matéria:
Vidro
Técnica:
Vidro transparente e vidro corado na massa. Pintura a grisalha e amarelo de prata.
Dimensões (cm):
altura: 75; largura: 47;
Descrição:
Painel de vitral composto por vidro incolor e vidro corado na massa com pintura a grisalha, amarelo de prata e pintura a frio, representando a Crucificação de Cristo. * * * Em primeiro plano, ao centro e chamando a si toda a importância do conjunto, figura Jesus Cristo pregado na cruz, levemente tombado para a sua direita. * * * Coroado de espinhos e coberto por um pequeno tecido branco abaixo da cintura (perisonium), tem a seus pés, ao lado esquerdo do conjunto, uma jovem figura masculina ajoelhada de mãos unidas em sinal de oração e adoração. Esta figura masculina, possivelmente João (o Evangelista), o mais jovens dos apóstolos, loiro de cabelos ondulados, traja uma longa e volumosa túnica branca, realçada e definida a grisalha. * * * Por cima da cruz de tom castanho pode ler-se numa reserva rectangular, letreiro com o motivo da condenação de Jesus mandado colocar por Pilatos, a insígnia INRI – abreviatura de Iesu Nazarenus Rex Iudeorum, em português Jesus de Nazaré Rei dos Judeus (Mc.15, 26; Jo.19, 19). * * * Uma lacuna no canto inferior direito da composição não permite uma leitura completa do painel, é contudo passível de se entender que seria a representação de Maria, Mãe de Jesus que ali figuraria. Como horizonte definem-se a verde os montes de Gólgota (Mt. 27, 33-35), que em hebraico significa “Caveira” (Mc.15, 22; Jo. 19, 17), sobre os quais descansa o escuro azul do céu que do meio-dia às três da tarde envolveu a terra em escuridão (Mt. 27, 45).
Incorporação:
Transferência - Transferido após 1910 do Palácio da Necessidas para o Palácio Nacional da Ajuda, onde permaneceu até 1949, quando foi transferido para o Palácio Nacional da Pena.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica