MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
quinta-feira, 7 de julho de 2022    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Palácio Nacional da Pena
N.º de Inventário:
PNP2760
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Vidros
Denominação:
Painel de vitral
Título:
Crucificação de Cristo
Centro de Fabrico:
Alemanha
Datação:
XV d.C. - XVI d.C.
Matéria:
Vidro
Técnica:
Vidro transparente e vidro corado na massa. Pintura a grisalha e amarelo de prata.
Dimensões (cm):
altura: 75; largura: 47;
Descrição:
Painel de vitral composto por vidro incolor e vidro corado na massa com pintura a grisalha, amarelo de prata e pintura a frio, representando a Crucificação de Cristo. * * * Em primeiro plano, ao centro e chamando a si toda a importância do conjunto, figura Jesus Cristo pregado na cruz, levemente tombado para a sua direita. * * * Coroado de espinhos e coberto por um pequeno tecido branco abaixo da cintura (perisonium), tem a seus pés, ao lado esquerdo do conjunto, uma jovem figura masculina ajoelhada de mãos unidas em sinal de oração e adoração. Esta figura masculina, possivelmente João (o Evangelista), o mais jovens dos apóstolos, loiro de cabelos ondulados, traja uma longa e volumosa túnica branca, realçada e definida a grisalha. * * * Por cima da cruz de tom castanho pode ler-se numa reserva rectangular, letreiro com o motivo da condenação de Jesus mandado colocar por Pilatos, a insígnia INRI – abreviatura de Iesu Nazarenus Rex Iudeorum, em português Jesus de Nazaré Rei dos Judeus (Mc.15, 26; Jo.19, 19). * * * Uma lacuna no canto inferior direito da composição não permite uma leitura completa do painel, é contudo passível de se entender que seria a representação de Maria, Mãe de Jesus que ali figuraria. Como horizonte definem-se a verde os montes de Gólgota (Mt. 27, 33-35), que em hebraico significa “Caveira” (Mc.15, 22; Jo. 19, 17), sobre os quais descansa o escuro azul do céu que do meio-dia às três da tarde envolveu a terra em escuridão (Mt. 27, 45).
Incorporação:
Transferência - Transferido após 1910 do Palácio da Necessidas para o Palácio Nacional da Ajuda, onde permaneceu até 1949, quando foi transferido para o Palácio Nacional da Pena.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica