MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
segunda-feira, 29 de maio de 2017    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Palácio Nacional da Ajuda
N.º de Inventário:
4854
Supercategoria:
Ciência e Técnica
Categoria:
Investigação e Desenvolvimento
Denominação:
Relógio de sol horizontal portátil
Autor:
Desconhecido
Centro de Fabrico:
França
Datação:
1778 d.C.
Matéria:
Prata, marfim, vidro, metal, papel (?)
Técnica:
Prata dourada e gravada, marfim inciso e policromado, vidro incolor, papel policromado (?)
Dimensões (cm):
altura: 1,5; largura: 5,2; profundidade: 5,2;
Descrição:
Relógio de sol horizontal portátil, também designado por díptico, de forma octogonal com caixa de prata dourada e interior em marfim. A tampa, de charneira, apresenta gravadas as armas reais portuguesas de D. João V flanqueadas por palmas e ostentando, na parte inferior, uma fita com a data "1778" incisa. O motivo é contornado por uma faixa de motivos fitomórficos. A orla da tampa e a aresta inferior da caixa apresentam-se molduradas. No interior, sobre o bordo da bússola, figura a escala das horas gravada em algarismos árabes (12-7/5-12). O centro, protegido por vidro, é provido de uma agulha magnética. O diagrama da bússola é constituído por uma rosa dos ventos cujo Norte é indicado por uma flor de lis. O fio, que servia de gnómon, para indicar a hora através da projecção da sua sombra e que se encontrava fixo entre o bordo da bússola e o interior da tampa, está hoje omisso.
Incorporação:
Transferência - Casa Real
Origem / Historial:
Este tipo de instrumento portátil servia para determinar a hora do dia e da noite em relação a uma determinada latitude. A caixa deverá ser colocada numa superfície horizontal e a tampa aberta de forma a que o fio se mantenha esticado. "Orienta-se em seguida na direcção do Norte verdadeiro, através da agulha magnética. Para este efeito torna-se necessário introduzir o valor da declinação magnética. Com o relógio assim orientado, a sombra da linha, cujo ângulo com a horizontal corresponde à latitude do lugar (depois de a caixa se encontrar convenientemente aberta), indicará a hora solar verdadeira do lugar. A obtenção da hora legal implicará as correcções da equação do tempo, da longitude e do fuso horário, que no entanto não são fornecidas pelo instrumento, limitando-se este a dar a hora solar verdadeira. Este relógio é suficientemente rigoroso na latitude para que foi desenhado ou nas suas proximidades. Este relógio solar portátil inspira-se nos modelos executados nos finais do século XVII por Michael Butterfield, inglês instalado em Paris, em 1680. De forma octogonal alongada, com bússola e haste triangular achatada, estes aparelhos foram imitados durante todo o século XVIII por numerosos construtores franceses". (cf. Tempo Real. Colecção de relógios do Paço da Ajuda, PNA, Lisboa, 1996-1997, cat. 85, p. 116). Em 1910-1912, por ocasião do arrolamento dos bens da Casa Real, encontrava-se na Casa Forte do Palácio das Necessidades onde foi arrolado sob a verba "17218", sendo aí descrito como "Um relógio de sol, com caixa de prata dourada e tampa decorada com as armas do antigo regime". (APNA, Direcção Geral da Fazenda Pública, Arrolamento do Palácio Nacional das Necessidades, vol. 7, Casa Forte, 1910-1912, fl.2581v.). Integra o vasto conjunto de prata de aparato e objectos preciosos provenientes da Casa Real portuguesa.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica