MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
sábado, 18 de novembro de 2017    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Palácio Nacional da Ajuda
N.º de Inventário:
4854
Supercategoria:
Ciência e Técnica
Categoria:
Investigação e Desenvolvimento
Denominação:
Relógio de sol horizontal portátil
Autor:
Desconhecido
Centro de Fabrico:
França
Datação:
1778 d.C.
Matéria:
Prata, marfim, vidro, metal, papel (?)
Técnica:
Prata dourada e gravada, marfim inciso e policromado, vidro incolor, papel policromado (?)
Dimensões (cm):
altura: 1,5; largura: 5,2; profundidade: 5,2;
Descrição:
Relógio de sol horizontal portátil, também designado por díptico, de forma octogonal com caixa de prata dourada e interior em marfim. A tampa, de charneira, apresenta gravadas as armas reais portuguesas de D. João V flanqueadas por palmas e ostentando, na parte inferior, uma fita com a data "1778" incisa. O motivo é contornado por uma faixa de motivos fitomórficos. A orla da tampa e a aresta inferior da caixa apresentam-se molduradas. No interior, sobre o bordo da bússola, figura a escala das horas gravada em algarismos árabes (12-7/5-12). O centro, protegido por vidro, é provido de uma agulha magnética. O diagrama da bússola é constituído por uma rosa dos ventos cujo Norte é indicado por uma flor de lis. O fio, que servia de gnómon, para indicar a hora através da projecção da sua sombra e que se encontrava fixo entre o bordo da bússola e o interior da tampa, está hoje omisso.
Incorporação:
Transferência - Casa Real
Origem / Historial:
Este tipo de instrumento portátil servia para determinar a hora do dia e da noite em relação a uma determinada latitude. A caixa deverá ser colocada numa superfície horizontal e a tampa aberta de forma a que o fio se mantenha esticado. "Orienta-se em seguida na direcção do Norte verdadeiro, através da agulha magnética. Para este efeito torna-se necessário introduzir o valor da declinação magnética. Com o relógio assim orientado, a sombra da linha, cujo ângulo com a horizontal corresponde à latitude do lugar (depois de a caixa se encontrar convenientemente aberta), indicará a hora solar verdadeira do lugar. A obtenção da hora legal implicará as correcções da equação do tempo, da longitude e do fuso horário, que no entanto não são fornecidas pelo instrumento, limitando-se este a dar a hora solar verdadeira. Este relógio é suficientemente rigoroso na latitude para que foi desenhado ou nas suas proximidades. Este relógio solar portátil inspira-se nos modelos executados nos finais do século XVII por Michael Butterfield, inglês instalado em Paris, em 1680. De forma octogonal alongada, com bússola e haste triangular achatada, estes aparelhos foram imitados durante todo o século XVIII por numerosos construtores franceses". (cf. Tempo Real. Colecção de relógios do Paço da Ajuda, PNA, Lisboa, 1996-1997, cat. 85, p. 116). Em 1910-1912, por ocasião do arrolamento dos bens da Casa Real, encontrava-se na Casa Forte do Palácio das Necessidades onde foi arrolado sob a verba "17218", sendo aí descrito como "Um relógio de sol, com caixa de prata dourada e tampa decorada com as armas do antigo regime". (APNA, Direcção Geral da Fazenda Pública, Arrolamento do Palácio Nacional das Necessidades, vol. 7, Casa Forte, 1910-1912, fl.2581v.). Integra o vasto conjunto de prata de aparato e objectos preciosos provenientes da Casa Real portuguesa.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica