MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
sexta-feira, 15 de dezembro de 2017    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional de Etnologia
N.º de Inventário:
AQ.504
Supercategoria:
Etnologia
Categoria:
Traje
Denominação:
Lenço
Datação:
XIX d.C. - XX d.C.
Matéria:
Merino (Lã)
Dimensões (cm):
largura: 98; comprimento: 98;
Descrição:
Lenço de merino de formato quadrangular. Apresenta uma larga cercadura de cor vermelha. Justaposta a esta, espécie de moldura constituída por repetição de motivos fitográficos geometrizados de cores azul, vermelho, amarelo, verde e castanho. Os limites mais exteriores da moldura formam espécie de lóbulos ornados por pequenas vilosidades. O interior da moldura é de formato quadrangular. Apresenta padrão de motivo fitográficos. Este é constituído por espécie de flor central, de quatro pétalas, onde se distinguem oito estames. Da flor brotam formas ogivais de cor preta e azul ou de cor preta e verde. O motivo é limitado por uma fina lista de cor branca emoldurante, a qual toca, nos seus vértices, com os dos outros motivos. Os motivos dispõem-se diagonalmente, em relação à orientação do lenço. Alternam-se entre si em ângulos de 90º, diferendo apenas, nuns e noutros, na cor azul ou verde das formas ogivais.
Incorporação:
Compra
Proveniência:
Portugal / Leiria / Nazaré
Origem / Historial:
Foi efectuado um estudo, incidente na colecção de traje popular português do Museu Nacional de Etnologia. O estudo abrangeu as províncias do Douro Litoral, Beira Alta, Beira Litoral, Beira Baixa e Ribatejo, num total de 177 objectos. Deste número, Ernesto Veiga de Oliveira recolheu 87, entre 1961 e 1972. 37 pertencem à província da Beira Litoral. Em 1947 Ernesto Veiga de Oliveira é chamado, juntamente com Margot Dias, Fernando Galhano e Benjamin Pereira, por Jorge Dias para ser formado o Centro de Estudos de Etnologia. Em 1965 é nomeado subdirector do Museu Nacional de Etnologia. Com o falecimento de Jorge Dias, toma a direcção do mesmo museu e do Centro de Estudos de Antropologia Cultural. Após a sua aposentação destes cargos, em 1980, assume a direcção do Centro de estudos de Etnologia.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica