MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
terça-feira, 25 de janeiro de 2022    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu da Guarda
N.º de Inventário:
1723
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Cabeça degolada de São Paulo de Tarso
Título:
Cabeça degolada de São Paulo de Tarso (titulo iconográfico); Cabeça de S. Paulo (titulo vulgarizado).
Autor:
Desconhecido
Local de Execução:
Andaluzia. Espanha.
Oficina / Fabricante:
Escola Andaluza.
Datação:
1650 d.C. - 1699 d.C. - 2ª metade do século XVII
Matéria:
Cobre, óleo.
Suporte:
Cobre.
Técnica:
Óleo s/ cobre.
Dimensões (cm):
altura: 24,7; largura: 20,6;
Descrição:
Cabeça de São Paulo, para a esquerda, degolada. A cabeça apresenta cabeleira castanha e longas barbas esbranquiçadas. Mancha de sangue na parte inferior do pescoço, cabeça aureolada com a inscrição S. PABLO. As letras IHS repetem-se por três vezes na parte inferior da pintura. Esta pintura enquadra-se na chamadas "obras de devócio" da Escola Andaluza.
Incorporação:
Doação - Do Dr. Alfredo Filipe
Origem / Historial:
Na parte posterior da pintura existia uma inscrição em papel que dizia: Cabeça de S. Paulo preciosa pintura Italiana sobre cobre, do século XVI. Comprei pela quantia de 50.000 Reis, Lisboa. 1908. José Brandão. Acta da Reunião Ordinária da Câmara Municipal da Guarda de 1 de Junho de 1959: "Museu Regional - a Câmara tomou conhecimento da oferta de dois quadros do Século XVI pintura a oleo sobre cobre - feita pelo Exmo. Sr. Dr. Alfredo Filipe e deliberou testemunhar a sua Ex. o seu grande reconhecimento pela valiosa oferta que mais uma vez evidência o seu inescedivel interesse e carinho que a valorização do Museu Regional da Guarda continua a merecer-lhe. Mais foi resolvido que desta deliberação lhe fosse dado conhecimento". No entanto num inventário sem data do Museu Regional da Guarda aparece como doador o Dr. César Augusto de Carvalho. Em 5 de Abril de 1994 foi estudada por Juan Miguel Serrera da Universidadd de Sevilha, que a considera de origem espanhola, com alguma dificuldade. Considera-a como estilisticamente uma obra menor, integrando-a naquilo a que chama "obras de devocion".
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica