MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 5 de dezembro de 2021    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional Soares dos Reis
N.º de Inventário:
167 Pin MNSR
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Aldeia de St. Sauves
Datação:
1881 d.C.
Suporte:
Madeira
Técnica:
Óleo
Dimensões (cm):
altura: 46; largura: 37,8;
Descrição:
Trecho de casario rural em que o primeiro plano é dominado por um espaço amplo em terra, interrompido à esquerda pela sombra de um edifício, esse ausente da representação. Este espaço, cujo eixo é marcado por uma figura que se dirige para o observador, fecha-se no plano seguinte com um pequeno declive e uma rua. Aí, em planos sucessivamente interrompidos, alternam os edifícios baixos, com os telhados de colmo ou de telha sob a luz branca intensa, e as suas sombras densas projectadas no chão. Além da primeira figura outras cinco se distribuem pela composição em planos mais distanciados, todas imóveis, sentadas nos muros ou de pé a conversar. Ao fundo uma torre de igreja, centrada na composição, projecta-se num dos planos mais distantes cortando o céu branco coberto de nuvens. A torre sineira aqui representada é a da igreja paroquial da aldeia de Saint Sauves d'Auvergne cujas obras de reconstrução haviam terminado poucos anos antes da estadia de Pousão no local.
Incorporação:
Outro - Fundo Antigo do Museu. Proveniente da Escola de Belas Artes do Porto (antiga Academia de Belas Artes do Porto)
Origem / Historial:
Pousão permaneceu em Saint Sauves d'Auvergne (na região do Puy de Dôme no Maciço Central) entre 18 de Agosto e 22 de Setembro de 1881. Esta é uma das três pinturas que aí executou e que fizeram parte da primeira remessa de pensionista enviada nesse mesmo ano à Academia Portuense de Belas-Artes. Pertence ao Fundo Antigo do Museu: o antigo Museu Portuense, criado em 1833, passa a ser tutelado por uma Comissão de professores da Academia de Belas Artes do Porto, a partir de 1839, e as duas instituições passaram a partilhar o mesmo espaço e tutela. Em 1932 é feita a partilha do acervo existente pelas duas instituições, o Museu Soares dos Reis (antigo Museu Portuense) e Escola de Belas Artes (antiga Academia): dessa divisão foi registada uma “Relação dos objectos existentes no Museu Soares dos Reis pertencentes ao Estado”, datada de 1 de Novembro de 1932 e firmada por João Marques da Silva e por Vasco Valente, respectivamente, director da Escola de Belas Artes e do Museu Soares dos Reis.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica