MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 28 de fevereiro de 2021    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional Soares dos Reis
N.º de Inventário:
119 Pin MNSR
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Uma paisagem representando a planície
Datação:
1876 d.C.
Suporte:
Tela
Técnica:
Óleo
Dimensões (cm):
altura: 70; largura: 120,5;
Descrição:
Paisagem representando uma extensa planície que domina a terça parte inferior do quadro e que se distingue do céu por uma linha de horizonte quase recta. O primeiro plano é constituído por uma vegetação rasteira, em pequenos tufos, onde se destacam algumas flores feitas de pinceladas rápidas de vermelho intenso. No meio do campo de cereal, na metade esquerda da composição e em segundo plano, distingue-se uma carroça guiada por um homem e puxada por cavalo, voltada para o observador, representada no sentido do caminho que segue e que atravessa a planície em sentido oblíquo, da esquerda para a direita. Em planos longínquos estão representados, da esquerda para a direita, dois conjuntos de árvores e duas medas de palha, elementos que interrompem a linha quase recta de horizonte. O céu, que preenche mais do que a metade superior do quadro, é composto numa gradação de azuis a que se sobrepõem núvens brancas.
Incorporação:
Outro - Fundo Antigo do Museu proveniente da Escola de Belas Artes do Porto (antiga Academia Portuense de Belas Artes).
Origem / Historial:
Obra remetida de Paris à Academia Portuense de Belas-Artes como prova de pensionista referente ao ano de 1876. No Catálogo das obras apresentadas na 12 ª Exposição Trienal da APBA, em 1878, é referida como sendo integrada "nas remessas do ano de 1876". Pertence ao Fundo Antigo do Museu: o antigo Museu Portuense, criado em 1833, passa a ser tutelado por uma Comissão de professores da Academia de Belas Artes do Porto, a partir de 1839, e as duas instituições passaram a partilhar o mesmo espaço e tutela. Em 1932 é feita a partilha do acervo existente pelas duas instituições, o Museu Soares dos Reis (antigo Museu Portuense) e Escola de Belas Artes (antiga Academia): dessa divisão foi registada uma “Relação dos objectos existentes no Museu Soares dos Reis pertencentes ao Estado”, datada de 1 de Novembro de 1932 e firmada por João Marques da Silva e por Vasco Valente, respectivamente, director da Escola de Belas Artes e do Museu Soares dos Reis.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica