MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
terça-feira, 19 de outubro de 2021    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu da Guarda
N.º de Inventário:
1086
Supercategoria:
Arqueologia
Categoria:
Epigrafia
Denominação:
Fragmento de marco miliário.
Local de Execução:
Barrelas ? - Famalicão da Serra.
Oficina / Fabricante:
Lapidário Itenerante ?.
Datação:
306 d.C. - 337 d.C. - Reinado do Imperador Constantino Magno
Matéria:
Granito.
Técnica:
Inscrição.
Dimensões (cm):
altura: 95; largura: 35;
Descrição:
Fragmento de Marco Miliário em granito muito alterado, tem forma cilíndrica, bastante mutilado na parte inferior, encontrando-se incompleta a inscrição. Dedicado a Constantino Magno. Mede na sua altura máxima 99 cm, e de perimetro da sua parte superior 108 cm, com o diâmetro de 33 cm na secção. Altura média das letras 0,7 cm. Alguns pormenores dos caracteres gravados: os AA não possuem travessas; as duas linhas dos LL formam ângulo obtuso em vez de recto; alguns OO, no meio da palavra são muito mais pequenos que as outras letras. Na 1ª linha, antes do pronome LAVIO, há lugar para IMO(eratori) ou D(omino) N(ostro), mas nada se pode verificar pela deterioração da pedra. Leitura: (IMP.) FLAVIO VALERIO CONSTANTINO NOBILLISSIMO (Caesari) FORTISSIMO (que Principe) DIVICON ST (antii Filio). Tradução: (Ao Imperador) Flávio Valério Constantino NOBILLISSIMO (César e Principe), Fortissimo (filho) do Divino Constâncio ... Ao texto gravado na coluna seguir-se-ia os anos do poder tribunicío, os de consulado etc, para, no final, se nos dar a distância em milhas de uma povoação principal ou de algum terminus augustalis, que ficaria para trás, e é pena que tenha desaparecido este pormenor, pois podia dar muita luz ao numero IIII que se vê no marco anteriormente descrito.
Incorporação:
Doação - do sr. Dr. António Barbas.
Proveniência:
Colerdordem. Este lugar fica situado a um quilómetro da via Romana "Estrada de Herodes".
Origem / Historial:
Origem: Colerdordem - "Estrada de Herodes" - Barrelas - Famalicão da Serra - Guarda. O marco miliário foi encontrado mais ou menos em 1939 quando se procedia à plantação de uma vinha no vale de Famalicão no local de Colerdordem, a um quilometro da via romana. O proprietário Dr. António Barbas levou-os para sua casa em Famalicão da Serra. Em Dezembro 1949 ofereceu-o ao Museu Regional da Guarda. Acta nº. 51 da Sessâo da Camâra Municipal da Guarda de 21 de Dezembro de 1949: "Autorizações de pagamento: Nº. 1954 - transporte de duas pedras milenárias de Famalicão para esta cidade e com destino ao Museu Regional - 40$00". Segundo o Padre Eugénio Jalhay o marco pertencia à via Romana que ia de Braga a Mérida, e que tinha o seguinte traçado: Viseu, Prime, Fagilde, Roda, Mangualde de Azurara, Almeidinha, Abrunhosa a Velha, Cabra, Linhares, Videmonte, Taberna, Barrelas de Famalicão, Valhelhas, Vale Formoso, Belmonte, Caria, Vale de Lobo, Meimoa, Penamacor, Idanha a Velha, Segura, Ponte de Alcântara, Cácers, Mérida. A peça foi registada com a data de entrada anterior a 1969, porque na altura da realização do Inventário do Museu se desconhecia que a peça deu entrada no Museu da Guarda em 1949.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica