MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
sábado, 24 de julho de 2021    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu da Guarda
N.º de Inventário:
2790
Supercategoria:
Arqueologia
Categoria:
Epigrafia
Denominação:
Cipo funerário.
Local de Execução:
Portugal.
Centro de Fabrico:
Oficina regional e local.
Datação:
Romana
Matéria:
Granito.
Dimensões (cm):
altura: 164; largura: 59;
Descrição:
Cipo funerário romano de forma rectangular, fragmentado em duas partes. Sendo a parte superior e inferior um pouco mais largas do que a parte central. Na face frontal uma inscrição em quatro linhas: CORIAE ET PEINUCAE (nexo no A e E) TRITI . LILIAE PATER - F(acieudum) C(uravit) A Cória e a Peinuca, filhas de Tritio. O pai mandou fazer (esta memória). Por cima foi aberto um nicho e um templete de 30 cm de largura por 28 cm de altura. Este nicho como o encaixe para cruz existente na parte superior terão sido abertos quando o cipo foi transformado em "Alminha" no Séc. XVIII.
Incorporação:
Outro - Recolha pelo Museu da Guarda.
Proveniência:
Quinta da Rasa.
Origem / Historial:
Origem: Quinta da Rasa - freguesia de S. Miguel - Guarda. Originariamente o cipo Funerário estava situado na Quinta da Rasa, junto a uma estrada que cruzando o rio Diz, viria da Guarda e da Póvoa do Mileu com destino a Longroiva e Meda. Em 1986 o Dr. Inácio Vilar depois de iniciar um projecto urbanistico no local e na envolvente do cipo funerário, este foi retirado para o estaleiro das obras de Adriano Balaia. O Museu da Guarda após várias diligências e com o apoio do Serviço de Arqueologia da Zona Centro e da Cmara Municipal da Guarda e com a ajuda o empreiteiro Adriano Balaia recolhe o cipo para o Museu da Guarda em 1 de Abril de 1987. O cipo encontrava-se já partido em duas partes no estaleiro de Adriano Balaia.
Bibliografia

Bibliografia

ALARCÃO, Jorge de - Arqueologia da Serra da Estrela. Lisboa: Instituto Conservação Natureza, Dezembro de 1993, pág. 33-34

CURADO, Fernando Patricío - Epigrafia das Beiras. Viseu: Assembleia Distrital de Viseu, 4º Trimestre 1985, pág. -

Hispania Antiqua Epigraphica 1-3 nº. 234. Madrid: 1950-52, pág. -

JALHAY, Eugénio - Inscrições Romanas do Museu Regional da Guarda. Separata da Revista "Brotéria" Vol. L, fasc. 5; Subsidiada pela Câmara Municipal da Guarda; Lisboa 1950., pág. 13-14-15

PERESTRELO, Manuel Sabino G. - A Romanização na bacia do rio Côa: Parque Arqueológico Vale do Côa, 2003, pág. 44

VIVES - ILER nº. 6447, pág. -

 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica