MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
quinta-feira, 15 de abril de 2021    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional de Arte Antiga
N.º de Inventário:
13/107 Ilum
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Livro de Horas
Título:
Oração de S. Vicente
Autor:
Oficina de Simon Bening
Oficina / Fabricante:
Oficina de Simão Bening
Datação:
1530 d.C. - 1534 d.C.
Suporte:
Pergaminho
Técnica:
Pintura a têmpera e ouro
Dimensões (cm):
altura: 13,3; largura: 9,8;
Descrição:
Fólio 107. A iluminura tem um enquadramento à maneira de moldura, em tons de castanho e dourado, a imitar madeira. Sobre ela é aplicada um outro quadro, com o mesmo tipo de enquadramento, onde se inicia a oração. Esta é escrita em latim, com caracteres góticos, a vermelho e preto. O texto apresenta uma inicial historiada. A letra "O" é pintada em tons de castanho e dourado sobre um fundo quadrangular verde. A letra é decorada com motivos vegetalistas a imitar ramos e folhas de acanto. No seu interior, o corpo de S. Vicente jaz num leito com dossel, permanecendo duas pessoas junto do santo. Na tarja direita, o corpo de S. Vicente é lançado à água, tendo pendurado ao pescoço uma mó. No bas-de-page, o corpo do santo é encontrado junto a uma praia por três pessoas. S. Vicente tem uma mó atada ao pescoço e outra aos pés.
Incorporação:
Transferência - Palácio das Necessidades
Origem / Historial:
Este Livro de Horas é tradicionalmente atribuído à Oficina de Simão de Bening. Esta atribuição resulta dos estudos comparativos com outras obras realizadas por este iluminador, como o Breviário de Grimani (Biblioteca Marciana, Veneza). Quanto ao destinatário, alguns estudiosos relacionam este códice como uma oferta de Damião de Góis a D. Catarina, e outros como pertencente ao infante D. Fernando. Ambas as posições podem ser contestadas pela representação das Armas Reais Portuguesas no fólio 1v. Dagoberto Markl avança com a hipótese de se tratar de uma encomenda do próprio rei, D. João III. Segundo a inscrição no fólio 1v., a actual encadernação foi feita em Paris, em 1755. Este Livro de Horas, pertencente às Colecções Reais, foi transferido para o Museu Nacional de Arte Antiga, proveniente do Palácio das Necessidades, no arrolamento dos bens reais.

Título

Local

Data Início

Encerramento

N.º Catálogo

Exposição de Arte Sacra Ornamental. Centenário do Santo António de Lisboa

Lisboa

1895

No Tempo das Feitorias. A Arte Portuguesa na Época dos Descobrimentos

Lisboa, Museu Nacional de Arte Antiga

1992-06

1992-12

Feitorias. L'art au Portugal au temps des Grandes Découvertes (fin XIVe siècle jusqu'à 1548) - Europália 91

Koninklijk Museum voor Schone Kunsten, Antwerpen

1991-09-29

1991-12-29

Museu Nacional de Arte Antiga, Lissabon

Bonn, Kunst-und Ausstellungshalle der Bundesrepublik Deutschland

1999-03-26

1999-07-11

A Imagem do Tempo. Livros manuscritos ocidentais

Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian

2000-03-31

2000-07-02

XVII Exposição Europeia de Arte Ciência e Cultura. Os Descobrimentos portugueses e a Europa do Renascimento.

Lisboa, Casa dos Bicos

1983-06

1983-09

 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica