MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 24 de março de 2019    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional de Arte Antiga
N.º de Inventário:
1223 Pint
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Título:
Retrato da Família do 1º Visconde de Santarém
Autor:
Sequeira, Domingos António de
Datação:
1816 d.C.
Matéria:
Óleo
Suporte:
Tela
Técnica:
Pintura a óleo sobre tela
Dimensões (cm):
altura: 136; largura: 177;
Descrição:
O 1º Visconde de Santarém, João Diogo de Barros Leitão Carvalhosa, faz-se retratar num amplo salão com a sua segunda mulher, os cinco filhos e o seu irmão mais novo, D. António Roberto, arcebispo de Adrianopoli. No retrato colocado sobre o fogão da sala, o quadro dentro do quadro, representa-se o filho primogénito (fruto do primeiro casamento e futuro ministro de D. Miguel) com os tios, viscondes de Vila Nova da Rainha (respectivamente irmã e cunhado do visconde de Santarém). A escultura posta sobre a mesa retratando D. João VI, que havia ascendido ao trono a 20 de Março de 1816, juntamente com a constatação das idades dos personagens, levou Maria Alice Beaumont a sugerir a data de 1816 para a feitura do quadro.
Incorporação:
Doação - Oferta do 3º Visconde de Santarém, Manuel F. de Barros Saldanha.
Origem / Historial:
* Forma de Protecção: classificação; Nível de classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre o património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei n.º 107/2001, de 8 Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; N.º 19/2006; 18/07/2006 *
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica