MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 20 de janeiro de 2019    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional de Arte Antiga
N.º de Inventário:
112 Pint
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Tríptico: Descida da Cruz(painel central),Cristo Ressuscitado e Descida de Cristo ao Limbo (volantes),Conversão S. Paulo
Título:
Triptico: Descida da Cruz, Cristo Ressuscitado e Descida de Cristo ao Limbo - Conversão de S. Paulo
Autor:
Pierre Coeck d'Alost
Datação:
1540 d.C. - 1550 d.C.
Matéria:
Óleo
Suporte:
Madeira de carvalho
Técnica:
Pintura a óleo
Dimensões (cm):
altura: 262(p.central), 274 (laterais); largura: 172(p.central), 84 (laterais);
Descrição:
Painel central: Descida da Cruz - no centro da composição, recortando-se sobre um céu sombrio e a cidade de Jerusalém, o corpo de Cristo é retirado da cruz ao passo que, no registo inferior, um grupo composto por diversas figuras, de que se destacam Nossa Senhora, São João Evangelista e Santa Maria Madalena, lamenta a morte de Jesus. Painel lateral esquerdo: Descida de Cristo ao Limbo - Cristo levado por anjos paira sobre as almas que se encontram no Purgatório, surgindo ao centro em plano recuado Adão e Eva. Painel lateral direito: Cristo Ressuscitado - na parte superior da pintura Cristo ressuscitado em glória de anjos aparace aos soldados que, em baixo, são surpreendidos pela aparição. Reverso: Conversão de São Paulo - em primeiro plano São Paulo caído do cavalo e, a rodeá-lo, soldados e cavaleiros. Na parte superior surge o Padre Eterno acompanhado de dois anjos.
Incorporação:
Outro - Transferência: Convento dos Remédios (Lisboa).
Origem / Historial:
Este tríptico foi atribuído por A. Bredius, antigo director do Museu de Amesterdão, a Martin Van Veen de Hemskerk. Posteriormente, Leo Van Puyvelde indicou o nome de Pierre Coeck d'Alost, também conhecido como Pieter Coecke van Aelst. Marlier veio finalmente a provar a justeza da atribuição a d'Alost, tanto que esta obra constitui a referência fundamental para a constituição do corpus da actividade do pintor. * Forma de Protecção: classificação; Nível de classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre o património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei n.º 107/2001, de 8 Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; N.º 19/2006; 18/07/2006 *
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica