MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
sábado, 15 de dezembro de 2018    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional de Arte Antiga
N.º de Inventário:
80 Pint
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Martírio de São Sebastião
Título:
Martírio de São Sebastião
Autor:
Gregório Lopes
Datação:
1536 d.C. - 1538 d.C.
Matéria:
Óleo
Suporte:
Madeira de carvalho
Técnica:
Pintura a óleo sobre madeira de carvalho
Dimensões (cm):
altura: 119; largura: 244,6;
Descrição:
São Sebastião nimbado e preso a uma coluna com os pés atados por uma corda que enlaça um punhal, surge representado no centro da composição. Dois archeiros, um de cada lado, vestidos com ricas indumentárias e manejando as suas armas, visam o corpo do santo. O martírio do santo romano é, fundamentalmente, um pretexto para a realização de uma grande composição paisagista povoada por inúmeras figuras e marcada por apontamentos que remetem para a vida quotidiana de uma urbe no século XVI. A cena decorre numa cidade de que se pode vislumbrar em segundo plano o casario e um templo circular "italianizante" rasgado por balcões e arcadas decoradas por enormes estátuas, a que se tem acesso através de uma escadaria. À sua frente uma multidão assiste a um auto-de-fé, com dois corpos consumidos numa grande fogueira.
Incorporação:
Outro - Transferência: Charola do Convento de Cristo (Tomar)
Origem / Historial:
Este painel retabular pertencia a um dos altares pequenos da Charola do Convento de Cristo em Tomar, destinando-se provavelmente ao altar de São Sebastião conforme consta no manuscrito de Frei Jerónimo de S. Romão, havendo documentação que atesta a sua realização, nomeadamente verbas de despesa pelo trabalho do pintor régio Gregório Lopes nos anos de 1536 e 1537 (ANTT, Convento de Cristo, 23, fls. 187v., 188 e 196). De facto, sabemos que de Setembro de 1536 a Abril de 1539 o pintor esteve na vila de Tomar a trabalhar nalguns retábulos destinados à charola da igreja do dito convento. * Forma de Protecção: classificação; Nível de classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre o património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei n.º 107/2001, de 8 Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; N.º 19/2006; 18/07/2006 *
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica