MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
quarta-feira, 26 de junho de 2019    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional de Arte Antiga
N.º de Inventário:
1173 Pint
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Título:
Cristo no Horto
Autor:
Gregório Lopes
Datação:
1539 d.C. - 1541 d.C.
Matéria:
Óleo
Suporte:
Madeira de Carvalho
Técnica:
Pintura a óleo
Dimensões (cm):
altura: 134; largura: 111;
Descrição:
Cristo, no centro da composição, surge envolto numa túnica escura que contrasta com a luminosidade e resplenor que emanam do anjo que lhe traz a visão da Cruz do Martírio e do clarão que personifica a figura de Deus Pai. Em primeiro e segundo planos encontram-se os três apóstolos adormecidos, enquanto que ao fundo, à esquerda, aparece representado um grupo de soldados que com as respectivas armas, lanternas e pendões atravessam a sebe do jardim guiados por Judas que os conduz até Jesus. Do lado direito do quadro representa-se a cidade de Jerusalém com as suas muralhas e casario.
Incorporação:
Outro - Transferência: Mosteiro de Santos-o-Novo (Lisboa)
Origem / Historial:
De acordo com uma nota escrita pelo Dr. José de Figueiredo no Livro 1º da Entrada de Correspondência, os seis quadros que formam o retábulo dito de Santos-o-Novo, estavam no coro de baixo da igreja do respectivo mosteiro no ano de 1911, data da entrada do conjunto no Museu das Janelas Verdes. Passa-se a transcrever parcialmente o documento citado (fl.6): "Em 22 do corrente (Agosto de 1911) esteve o Director do Museu no Recolhimento de Santos-o-Novo a receber vários objectos ali existentes, em virtude do despacho do Ex.mo Ministro da Justiça. Esses objectos, entregues ao Director na presença de dois vogais da Comissão Jurisdicional das Extintas Congregações, são: 6 quadros de madeira do século XVI escola de Lisboa, representando respectivamente a «Anunciação», «Natividade», «Adoração dos Reis Magos», «Cristo no Horto», «Enterro de Cristo» e «Ressurreição de Cristo» e estavam no coro de baixo da referida Igreja;..."(cf. João Couto, O retábulo quinhentista de Santos-o-Novo, p.13, nota 1). * Forma de Protecção: classificação; Nível de classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre o património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei n.º 107/2001, de 8 Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; N.º 19/2006; 18/07/2006 *
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica