MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
sábado, 15 de dezembro de 2018    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional de Arte Antiga
N.º de Inventário:
5 Pint
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Retábulo de S. Bento
Título:
Adoração dos Reis Magos
Autor:
Mestres do Retábulo de São Bento (Gregório Lopes e Jorge Leal)
Datação:
1520 d.C. - 1525 d.C.
Matéria:
Óleo
Suporte:
Madeira de carvalho
Técnica:
Pintura a óleo
Dimensões (cm):
altura: 176,5; largura: 133;
Descrição:
Do lado direito da composição, no interior de uma arquitectura italianizante com duas pequenas colunas de marmoreado vermelho, São José afasta um brocado de tons verdes com decoração geométrica e vegetalista debroada a preto, e observa a cena que se desenrola no exterior. Por baixo da janela, em cima de um estrado de madeira cuja extremidade mais avançada marca aproximadamente a linha central do quadro, a Virgem, envolta num panejamento azul com bordadura dourada, segura o Menino Jesus com ambas as mãos. Aos seus pés estão colocadas duas das urnas trazidas pelos Reis Magos, ao passo que a terceira é entregue a Melchior por um pagem. Por detrás dos Magos estão colocados os respectivos pagens, imediatamente seguidos por três personagens masculinos que envergam vestes negras, os quais, por sua vez, são secundados por um séquito de soldados empunhando lanças e bandeiras. Pelo extremo realismo fisionómico, as duas figuras vestidas de preto com cabelo e barba grisalha foram identificadas com os encomendadores da obra. Contudo, outra hipótese a não excluir é a de estarem retratados os pintores Gregório Lopes, Jorge Leal, sendo o mais jovem Cristóvão Lopes, filho de Gregório, e à data aprendiz na oficina do pai. O fundo da pintura é composto por um cortejo de homens a pé ou a cavalo que, por entre um caminho bordejado de sebes que se insere numa paisagem rochosa pontuada por algumas arquitecturas, se dirige para o local onde se encontra Jesus.
Incorporação:
Outro - Transferência: Convento de São Bento da Saúde (Lisboa)
Origem / Historial:
Quer este painel, quer os outros que compunham o retábulo dito de São Bento - a Visitação, a Apresentação do Menino no Templo e O Menino Jesus entre os Doutores, todos no Museu Nacional de Arte Antiga, assim como o desaparecido Cristo deposto da Cruz -, pertenciam ao conjunto retabular da Capela do Salvador da Igreja do Convento de São Francisco, em Lisboa. Daí transitaram no século XVII para a Capela de Nossa Senhora dos Prazeres do Mosteiro de São Bento da Saúde e, por fim, com a extinção das ordens religiosas em 1834, para o Museu Nacional de Arte Antiga. Adriano de Gusmão publicou um documento de 17 de Maio de 1525, descoberto por Vitorino Magalhães Godinho (Torre do Tombo, Corpo Cronológico, Parte II, maço 125, nº 150), de acordo com o qual os pintores de Lisboa Jorge Leal e Gregório Lopes tinham acabado de pintar o retábulo para a Capela do Salvador do Mosteiro de São Francisco, trabalho que iria ser avaliado por Jorge Afonso (pintor régio) e por Antão Leitão (pintor do Senado). Com base neste testemunho, a que se junta, igualmente, o documento encontrado por Reinaldo dos Santos na Torre do Tombo e que pertencia a um Livro de Notas do Mosteiro de São Bento da Saúde (Códice nº 21 do Cartório de São Bento), e um recibo de pagamento a Gregório Lopes datado de 1520 e publicado por Seabra carvalho, pôde-se determinar tanto a autoria/parceria da obra como a sua data de execução.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica