MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
segunda-feira, 18 de outubro de 2021    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional do Azulejo
N.º de Inventário:
MNAz 142 Esc
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Escultura
Denominação:
Peça do Presépio da Madre de Deus
Título:
São José
Autor:
Ferreira, António e Dionísio (atribuído)
Local de Execução:
Lisboa
Centro de Fabrico:
Lisboa, Portugal
Datação:
1700 d.C. - 1730 d.C.
Matéria:
Barro
Suporte:
Barro cozido (terracota)
Técnica:
Modelação Policromia a frio: pintura a têmpera ou técnica mista (óleo e ovo). A peça é estofada a dourado sendo o ouro aplicado a mordente (uso de verniz). Carnação.
Dimensões (cm):
altura: 46 cm; largura: 28 cm; profundidade: 25 cm;
Descrição:
Escultura: escultura de vulto. Figura de presépio. Figura masculina jovem ajoelhada com a mão direita junto ao peito e a esquerda erguida onde seguraria um bastão ou cajado. A cabeça inclina-se para baixo, para a direita. Traja túnica comprida verde, manto azul decorado com flores douradas e, nas costas, pende um chapéu. Notas iconográficas: Tal como a Virgem, esta imagem deverá ser próxima da sua correspondente que se encontrava no altar da Madre de Deus. Também a sua posição afasta-O do Menino, colocando- se junto à cabeçeira, quase lateral, permitindo maior visibilidade para o grupo em segundo plano, o dos anjos músicos. Bibliografia básica: O Presépio da Madre de Deus (2003)
Incorporação:
Transferência - Por despacho de 31/7/2009, do Director do Instituto dos Museus e da Conservação, foi autorizada a transferência definitiva do MNAA para o MNAz. Estava em depósito no MNAz desde 2003.
Origem / Historial:
Forma de Protecção: classificação; Nível de Classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre o património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devem recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei nº 107/2001, de 8 de Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei nº 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; Nº 19/2006;18/07/2006 O presépio (no qual se integra esta peça) provém do antigo Convento da Madre de Deus (hoje MNA). Foi colocado originalmente num espaço próprio conhecido por Sala do Presépio, contíguo à Capela de Santo António, no segundo piso do edifício do convento ou casa do antecoro. Entre as possíveis circunstâncias em que se situou a encomenda do presépio poderá ter estado um programa de glorificação da Virgem, no qual se enquadra a recepção de dádivas vindas de Roma, em 1731, sob a forma de relíquias várias relacionadas com A Virgem, incluindo, por exemplo, uma tábua do presépio ou berço. Entre os encomendantes prováveis são apontados D. João V e o padre José Pacheco, ou ainda D. Pedro II ou D. Catarina de Bragança. A sua função inicial relacionava-se com a celebração da Natividade realizada em ambiente de clausura. A função actual de objecto museológico decorreu da sua incorporação pelo Estado após o decreto de extinção das ordens religiosas que se prolongou neste caso, por se tratar de um convento feminino, até à morte da última freira, ocorrida em 1871. Não se sabe exactamente quando terá sido desmontado, mas sabe-se que quando foi incorporado no acervo do MNAA (ou Museu Nacional de Belas Artes e Arqueologia até 1884) já estaria desmontado. A primeira exposição museológica de algumas das suas peças isoladas do conjunto ocorreu em 1882 na Exposição de Arte Ornamental Portuguesa e Hespanhola (não foi o caso desta peça). Existiu um projecto de montagem do presépio na sua casa original nos anos 80 ( onde entretanto se instalou o MNA) , motivando o regresso do conjunto escultórico ao MNA, em regime de depósito, mas este projecto não teve continuidade por falta de bases para uma correcta montagem das peças dispersas. Prevê-se uma remontagem do presépio em 2004 no local original da Sala do Presépio pela arquitecta Andreia Galvão. Esta peça, tal como o restante conjunto da Sagrada Família, não estava atribuída ao Presépio da Madre de Deus até às recentes investigações levadas a cabo por Alexandre Pais, por outro lado, a sua integração no MNAA datou apenas de 1913, sendo então atribuída ao convento do Sacramento (ver observações). Este objecto está relacionado com os seguintes objectos (2.0): Nº de inventário: 358 a 360; Denominação: Sagrada Família; Localização: MNA Nº de inventário: 286 a 288; Denominação: Sagrada Família; Localização: MNA (exposição)

Bibliografia

ANDRADE, Sérgio de - "Presépios" in: Dicionário de Arte Barroca em Portugal. Lisboa: Editorial Presença, 1989, pág. -

Aspectos do Natal na Arte Portuguesa, catálogo de exposição. Lisboa: Museu Nacional de Arte Antiga, 1947/1948, pág. -

BARREIRA, João - Os presépios de barro in: Serões - Revista mensal illustrada, 2ª série, vol. I, nº 6. Lisboa: 1905, pág. -

BELÈM, Fr. Jerónimo de - Crónica Seráfica de Santa Província dos Algarves da Regular Observancia de Nosso Serafico Padre S. Francisco, Parte Terceira, Em que se Trata da Origem, Fundaçam, e Progressos do Real Mosteiro da Madre de Deos de Xabregas. Lisboa: No Mosteiro de S. Vicente de Fora, 1756, pág. -

BERLINER, Rudolph - Denkmaler der Krippenkunst. Augsburg: s.n., 1926, pág. -

CASTRO, Machado de - Diccionario Arrazoado, ou filosófico d'alguns termos technicos, pertencentes á Bella Arte da Escultura, e seus utensilios. Lisboa: depositário Livraria Coelho, 1937, pág. -

Catálogo Illustrado da Exposição Retrospectiva de Arte Ornamental Portuguesa e Hespanhola. Lisboa: Imprensa Nacional, 1882, pág. -

CONCEIÇÃO, Frei Cláudio da - Gabinete Histórico, vol. IX. Lisboa: Imprensa Régia, 1823, pág. -

COSTA, Luís Xavier - Duas Palestras sobre artes portuguesas no século XVIII: "Algumas palavras sobre o escultor Machado de Castro e os seus cooperantes" e "Barristas portugueses anteriores ao século XIX". Lisboa: Oficina Gráfica Limitada, 1939, pág. -

Documentação do Convento da Madre de Deus, documentos avulsos, Biblioteca do Museu Nacional de Arte Antiga, pág. -

MACEDO, Diogo de - A escultura Portuguesa nos séculos XVII e XVIII in Separata da Revista Ocidente. Lisboa: s.n., 1945, pág. -

MACEDO, Diogo de - Em redor dos Presépios portugueses. Lisboa: Sociedade Industrial de Tipografia, 1940, pág. -

MACEDO, Diogo de - Presépios Portugueses. S.l.: Artis, s.d., pág. -

MACHADO, Cyrillo Volkmar - Colecção de memórias relativas às vidas dos pintores e escultores, Architectos, e gravadores portuguezes, E dos estrangeiros, que estiverão em Portugal, recolhidas e ordenadas. Lisboa: Imprensa de Victorino Rodrigues da Silva, 1823, pág. -

Memórias do que ouve na Madre de Deus, iniciado em 1639, Biblioteca Nacional de Lisboa, F. 2368, pág. -

PAIS, Alexandre Nobre - O Presépio da Madre de Deus. Lisboa: IPM, 2003, pág. -

PAIS, Alexandre Nobre - Presépios Portugueses Monumentais do século XVIII em Terracota, Dissertação de Mestrado em História de Arte Moderna apresentada à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Lisboa: texto policopiado, 1998, pág. -

PAIS, Alexandre Nobre - Presépios portugueses no século XVIII in: Portugal Brasil/ Brasil Portugal: Duas faces de uma realidade artística, Comissão Nacional para a Comemoração dos Descobrimentos Portugueses. Lisboa: s.n., 2000, pág. -

Papéis Antigos provenientes de Igrejas e Mosteiros (Madre de Deus, etc), Museu Nacional de Arte Antiga, Arquivo de Directores, Caixa 15, pasta 1, pág. -

RIBEIRO, Maria de Lourdes de Sousa Alvares - A música nos presépios setecentistas. Porto: [s.n.], 1996, pág. -

ROBECK, Nesta de - The Christmas crib. London: Burn Oates & Washbourne, 1938, pág. -

SOLEDADE, Frei Fernando da - Historia Serafica Chronologica da Ordem de S. Francisco na Provincia de Portugal, Tomo IV, Refere os seus Progressos em Tempos de Sessenta & oyto annos: do de mil & quinhentos & hum até o de mil & quinhentos & sessenta & oyto. Lisboa: Officina de Manoel & Joseph Lopes Ferreyra, 1709, pág. -

TELLES, Liberato - O Mosteiro e a Igreja da Madre de Deus. Lisboa: Imprensa moderna, 1899, pág. -

 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica