MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 20 de janeiro de 2019    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Grão Vasco
N.º de Inventário:
2152
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Descida da Cruz/Políptico da Capela-mor da Sé de Viseu
Autores:
Vasco Fernandes (c.1475-1542)
Henriques, Francisco (act.1508-1518)
Local de Execução:
Viseu
Datação:
1501 d.C. - 1506 d.C.
Suporte:
Madeira de Carvalho
Técnica:
Pintura a óleo
Dimensões (cm):
altura: 133; largura: 83; espessura: 2,5;
Descrição:
Painel do antigo retábulo da capela-mor da Sé de Viseu (1501-1506). Colocado na diagonal, o corpo de Jesus Cristo é retirado da cruz por José de Arimateia, Nicodemus e São João, o Evangelista. Madalena, em expressiva agitação, de costas e com um joelho no solo, assiste ao acto. No canto inferior direito, representa-se a Virgem, também numa atitude de expressivo dramatismo, que segura o sudário. Uma terceira figura feminina integra a cena. Para sugerir a profundidade do espaço, e integrar as figuras com verosimilhança, representa-se o tufo de vegetação que assume visibilidade ao recortar a forma do pé de São João ou o vestido de Madalena. Também colocado na terceira fiada superior do retábulo, a Descida da Cruz é um dos temas mais interessantes da série da Paixão, cujos materiais figurativos têm, genericamente, um tratamento mais simplificado do que o dos painéis que representam as cenas da Vida da Virgem e da Infância de Jesus. A marca da sua posição no conjunto é bem evidenciada pela "moldura" oval, definindo um céu nebuloso, que unia todos os painéis da última fiada, com a excepção apenas do Pentecostes, cuja cena decorre obrigatoriamente num espaço interior. É necessário ter em conta que a grande altura destes conjuntos retabulares implicava um ângulo de visão deformante ao observador, o que de certo modo justifica os frequentes erros de figuração, quando visto de perto e a pequena altura, e algumas simplificações picturais. Em escala menor, repete-se neste painel, à direita, o monte encimado por um arbusto despido de folhagem que figura na composição do painel com o tema Prisão de Cristo. Os rostos mais expressivos, sobretudo os da Virgem e da santa mulher, a agitação de Madalena, a par da intensidade cromática, conferem o necessário dramatismo à cena.
Incorporação:
Transferência - Da Sé de Viseu.
Origem / Historial:
Forma de Protecção: classificação; Nível de Classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre o património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; N.º 19/2006; 18/07/2006
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica