MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
segunda-feira, 25 de março de 2019    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Grão Vasco
N.º de Inventário:
2152
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Descida da Cruz/Políptico da Capela-mor da Sé de Viseu
Autores:
Vasco Fernandes (c.1475-1542)
Henriques, Francisco (act.1508-1518)
Local de Execução:
Viseu
Datação:
1501 d.C. - 1506 d.C.
Suporte:
Madeira de Carvalho
Técnica:
Pintura a óleo
Dimensões (cm):
altura: 133; largura: 83; espessura: 2,5;
Descrição:
Painel do antigo retábulo da capela-mor da Sé de Viseu (1501-1506). Colocado na diagonal, o corpo de Jesus Cristo é retirado da cruz por José de Arimateia, Nicodemus e São João, o Evangelista. Madalena, em expressiva agitação, de costas e com um joelho no solo, assiste ao acto. No canto inferior direito, representa-se a Virgem, também numa atitude de expressivo dramatismo, que segura o sudário. Uma terceira figura feminina integra a cena. Para sugerir a profundidade do espaço, e integrar as figuras com verosimilhança, representa-se o tufo de vegetação que assume visibilidade ao recortar a forma do pé de São João ou o vestido de Madalena. Também colocado na terceira fiada superior do retábulo, a Descida da Cruz é um dos temas mais interessantes da série da Paixão, cujos materiais figurativos têm, genericamente, um tratamento mais simplificado do que o dos painéis que representam as cenas da Vida da Virgem e da Infância de Jesus. A marca da sua posição no conjunto é bem evidenciada pela "moldura" oval, definindo um céu nebuloso, que unia todos os painéis da última fiada, com a excepção apenas do Pentecostes, cuja cena decorre obrigatoriamente num espaço interior. É necessário ter em conta que a grande altura destes conjuntos retabulares implicava um ângulo de visão deformante ao observador, o que de certo modo justifica os frequentes erros de figuração, quando visto de perto e a pequena altura, e algumas simplificações picturais. Em escala menor, repete-se neste painel, à direita, o monte encimado por um arbusto despido de folhagem que figura na composição do painel com o tema Prisão de Cristo. Os rostos mais expressivos, sobretudo os da Virgem e da santa mulher, a agitação de Madalena, a par da intensidade cromática, conferem o necessário dramatismo à cena.
Incorporação:
Transferência - Da Sé de Viseu.
Origem / Historial:
Forma de Protecção: classificação; Nível de Classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre o património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; N.º 19/2006; 18/07/2006
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica