MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 24 de março de 2019    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Grão Vasco
N.º de Inventário:
2151
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Prisão de Cristo/Políptico da Capela-mor da Sé de Viseu
Autores:
Vasco Fernandes (c.1475-1542)
Henriques, Francisco (act.1508-1518)
Local de Execução:
Viseu
Datação:
1501 d.C. - 1506 d.C.
Suporte:
Madeira de carvalho
Técnica:
Pintura a óleo
Dimensões (cm):
altura: 132; largura: 79;
Descrição:
Painel do antigo retábulo da capela-mor da Sé de Viseu (1501-1506). A iminente traição de Judas nos dois painéis que antecediam este, Última Ceia e Cristo no Horto, dá agora lugar à representação do tema central. Envolto no habitual manto amarelo, segurando o saco de moedas, símbolos da traição, Judas envolve Jesus Cristo com o braço e beija-lhe a face. O grupo de soldados armados organiza-se em redor das duas figuras principais. Cristo segura com a mão direita a orelha ensanguentada de Malco, que se representa de joelhos no solo, em primeiro plano, enquanto Simão Pedro segura ainda a sua espada cortante. Localizado nas fiadas superiores do retábulo, este painel, a par da Última Ceia e Pentecostes, denota com grande evidência algumas incapacidades técnicas na representação da figura humana. São evidentes as incorrecções na figura expressiva de Malco, prostrado no solo em primeiro plano, ou de Simão Pedro, cuja cabeça está desarticulada em relação ao corpo. Contrastam com estes evidentes arcaísmos formais, a técnica apurada na transcrição de armas e adereços, bem como a utilização de algumas estratégias para evidenciar pormenores: o braço de Cristo com a orelha sangrante de Malco recorta-se no manto amarelo de Judas. Um volume encimado por alguns arbustos frágeis, e um fragmento de paisagem que se azula na distância, não escondem a simplicidade desta composição, sem dúvida inspirada na gravura com o mesmo tema de Martin Schongauer ou de um dos seus seguidores.
Incorporação:
Transferência - Da Sé de Viseu
Origem / Historial:
Forma de Protecção: classificação; Nível de Classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre o património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; N.º 19/2006; 18/07/2006
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica