MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
sábado, 15 de dezembro de 2018    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Grão Vasco
N.º de Inventário:
2146
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Apresentação no Templo/Políptico da Capela-Mor da Sé de Viseu
Autores:
Vasco Fernandes (c.1475-1542)
Henriques, Francisco (act.1508-1518)
Local de Execução:
Viseu
Datação:
1501 d.C. - 1506 d.C.
Suporte:
Madeira de Carvalho
Técnica:
Pintura a óleo
Dimensões (cm):
altura: 132; largura: 83;
Descrição:
Painel do antigo retábulo da capela-mor da Sé de Viseu (1501-1506). A Virgem e o velho Simeão seguram o Menino, cujo corpo assume uma forma inusitadamente musculada, enquanto as restantes personagens participam indirectamente, como acompanhantes e acólitos, no acto da Apresentação. Uma iconografia rica e detalhada identifica-se especialmente neste painel. Em primeiro plano, destaca-se a figura feminina, representada de costas, que segura com a mão esquerda um cesto com três pombos. Trata-se de uma iconografia interessante, já que, segundo a lei de Moisés, seriam oferecidos em sacrifício um par de rolas ou dois pombos. No tondo colocado na parte superior da parede do fundo, ao centro do painel, representa-se um tema do Antigo Testamento: o anjo segura a mão de Abraão no momento do Sacrifício de Isaac. Na mesma parede do fundo, deixando entrever um fundo arquitectónico, surge um pórtico de arquitectura já renascentista, encimado pelo escudo português. O mesmo descritivo minucioso verifica-se nas figuras centrais e seus adereços: o velho Simeão surge ricamente ataviado, colocado sob um dossel em brocado e alguns candelabros de delicada transparência. Os acidentes da matéria, como o pequeno fragmento cerâmico que se desprende do pavimento, conferem o necessário realismo, enquanto a simplificação da técnica pictural é evidente na modelação de alguns volumes e carnações - na figura feminina que se representa de costas não existe qualquer tratamento pictural ao nível do rosto. Esta simplificação, algumas incongruências na representação do espaço, a evidente monumentalidade das figuras e o recurso a cores fortes e contrastantes resultam, também, da necessidade de adaptar estes painéis pintados a grandes conjuntos retabulares.
Incorporação:
Transferência - Transferência da Sala do Capítulo da Sé de Viseu, ao abrigo do Decreto 2: 284-C de 16 de Março de 1916, que cria o Museu de Grão Vasco.
Origem / Historial:
Forma de Protecção: classificação; Nível de Classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre o património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; N.º 19/2006; 18/07/2006
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica