MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
quinta-feira, 23 de maio de 2019    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Grão Vasco
N.º de Inventário:
2146
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Apresentação no Templo/Políptico da Capela-Mor da Sé de Viseu
Autores:
Vasco Fernandes (c.1475-1542)
Henriques, Francisco (act.1508-1518)
Local de Execução:
Viseu
Datação:
1501 d.C. - 1506 d.C.
Suporte:
Madeira de Carvalho
Técnica:
Pintura a óleo
Dimensões (cm):
altura: 132; largura: 83;
Descrição:
Painel do antigo retábulo da capela-mor da Sé de Viseu (1501-1506). A Virgem e o velho Simeão seguram o Menino, cujo corpo assume uma forma inusitadamente musculada, enquanto as restantes personagens participam indirectamente, como acompanhantes e acólitos, no acto da Apresentação. Uma iconografia rica e detalhada identifica-se especialmente neste painel. Em primeiro plano, destaca-se a figura feminina, representada de costas, que segura com a mão esquerda um cesto com três pombos. Trata-se de uma iconografia interessante, já que, segundo a lei de Moisés, seriam oferecidos em sacrifício um par de rolas ou dois pombos. No tondo colocado na parte superior da parede do fundo, ao centro do painel, representa-se um tema do Antigo Testamento: o anjo segura a mão de Abraão no momento do Sacrifício de Isaac. Na mesma parede do fundo, deixando entrever um fundo arquitectónico, surge um pórtico de arquitectura já renascentista, encimado pelo escudo português. O mesmo descritivo minucioso verifica-se nas figuras centrais e seus adereços: o velho Simeão surge ricamente ataviado, colocado sob um dossel em brocado e alguns candelabros de delicada transparência. Os acidentes da matéria, como o pequeno fragmento cerâmico que se desprende do pavimento, conferem o necessário realismo, enquanto a simplificação da técnica pictural é evidente na modelação de alguns volumes e carnações - na figura feminina que se representa de costas não existe qualquer tratamento pictural ao nível do rosto. Esta simplificação, algumas incongruências na representação do espaço, a evidente monumentalidade das figuras e o recurso a cores fortes e contrastantes resultam, também, da necessidade de adaptar estes painéis pintados a grandes conjuntos retabulares.
Incorporação:
Transferência - Transferência da Sala do Capítulo da Sé de Viseu, ao abrigo do Decreto 2: 284-C de 16 de Março de 1916, que cria o Museu de Grão Vasco.
Origem / Historial:
Forma de Protecção: classificação; Nível de Classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre o património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; N.º 19/2006; 18/07/2006
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica