MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 25 de agosto de 2019    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Grão Vasco
N.º de Inventário:
2144
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Natividade/Políptico da Capela-Mor da Sé de Viseu
Autores:
Vasco Fernandes (c.1475-1542)
Henriques, Francisco (act.1508-1518)
Local de Execução:
Viseu
Datação:
1501 d.C. - 1506 d.C.
Suporte:
Madeira de Carvalho
Técnica:
Pintura a óleo
Dimensões (cm):
altura: 131; largura: 81; espessura: 2,5;
Descrição:
Painel do antigo retábulo da capela-mor da Sé de Viseu (1501-1506). Em primeiro plano, o Menino recém-nascido é rodeado pela Virgem, São José e dois anjos. A composição triangular, centrada no Menino Jesus, é também estruturada pelos olhares convergentes das figuras, e apenas contrariada pelo anjo que, numa intenção narrativa, a sugerir o teatro litúrgico medieval, puxa o manto de São José. A Natividade tem lugar num interior em ruínas onde surgem, à esquerda, as cabeças dos tradicionais animais, a vaca e o burro. Através de uma abertura, numa complexa relação entre espaço e tempo, um fundo paisagístico serve de cenário à representação de um outro tema: a Anunciação aos Pastores. Um pormenor iconográfico interessante é o molho de espigas de trigo, colocado junto ao Menino, que surge numa alusão provável, e de acordo com Erwin Panofsky, ao local de nascimento de Cristo, a "Casa do Pão". No fundo paisagístico, uma árvore despida de folhagem, seguida de uma semelhante rejuvenescida, sugerem, respectivamente, o Antigo e o Novo Testamento. O realismo táctil dos pormenores em primeiro plano, em vago contraste com as formas distantes que sugerem o aprofundamento do espaço aéreo, a arquitectura correctamente perspectivada, assim como o agenciamento de luz no plano intermédio, apontam para o desempenho de um pintor com recursos técnicos notáveis.
Incorporação:
Transferência - Transferência da Sala do Capítulo da Sé de Viseu, ao abrigo do Decreto 2: 284-C de 16 de Março de 1916, que cria o Museu de Grão Vasco.
Origem / Historial:
Forma de Protecção: classificação; Nível de Classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre o património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; N.º 19/2006; 18/07/2006
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica