MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
segunda-feira, 21 de outubro de 2019    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu do Chiado – Museu Nacional de Arte Contemporânea
N.º de Inventário:
455
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Leitura de uma carta
Autor:
Keil, Alfredo Cristiano (Lisboa, 1850 - Hamburgo, Alemanha, 1907)
Datação:
1874 d.C.
Matéria:
Óleo
Suporte:
Tela
Técnica:
Pintura a óleo
Dimensões (cm):
altura: 92; 110; largura: 73; 92;
Descrição:
Interior burguês com duas raparigas vestidas elegantemente, lendo uma carta: uma de pé, envergando um vestido de folhos beije usando o cabelo apanhado ao alto da cabeça e preso por uma fita preta com três longos canudos a cairem-lhe da nuca. Debruçada numa poltrona, o seu rosto está representado de perfil, com os olhos baixos, lendo uma carta que a outra jovem, sentada, segura entre as mãos, ao lado de uma mesa com uma toalha estampada, um jarrão chinês com flores, uma caixa de madeira engastada aberta e um "bibelot". Usa um vestido carmim com folhos de renda preta com punhos e colarinho brancos. O cabelo está apanhado em madeixas enroladas ao alto da cabeça. Em primeiro plano um cadeirão forrado a verde com uma capa azul e um chapéu preto de laço branco, aí deixados propositadamente. No fundo, a parede é forrada com papel de tipo inglês decorado com hexágonos alongados em tons de verde. Intimista e documental, esta obra evoca vivências da burguesia lisboeta, situação rara na pintura portuguesa, aproximando-a dos romances da época, de Júlio Dinis ou mesmo de Eça de Queirós.
Incorporação:
Transferência - Conselho de Arte e Arqueologia
Origem / Historial:
Pertenceu a D. João de Meneses. Adquirido pelo Legado Valmor ao pintor Luciano Freire em 1917-18. Integrado no antigo MNAC em 1919. Intervenções de conservação e restauro: - Em 1972, no Laboratório José de Figueiredo (processo nºrest.97/73). Tratamento: Protecção da camada cromática com verniz a retoucher, planificação por esticamento, limpeza do reverso e entretelagem com tela ELF16 e adesivo à base de cera Damar e Elemi (7:2:1), preenchimento de lacunas com massa de caulino e tonalização das lacunas e finalização com tinta de óleo e verniz.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica