MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 20 de janeiro de 2019    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu do Chiado – Museu Nacional de Arte Contemporânea
N.º de Inventário:
455
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Leitura de uma carta
Autor:
Keil, Alfredo Cristiano (Lisboa, 1850 - Hamburgo, Alemanha, 1907)
Datação:
1874 d.C.
Matéria:
Óleo
Suporte:
Tela
Técnica:
Pintura a óleo
Dimensões (cm):
altura: 92; 110; largura: 73; 92;
Descrição:
Interior burguês com duas raparigas vestidas elegantemente, lendo uma carta: uma de pé, envergando um vestido de folhos beije usando o cabelo apanhado ao alto da cabeça e preso por uma fita preta com três longos canudos a cairem-lhe da nuca. Debruçada numa poltrona, o seu rosto está representado de perfil, com os olhos baixos, lendo uma carta que a outra jovem, sentada, segura entre as mãos, ao lado de uma mesa com uma toalha estampada, um jarrão chinês com flores, uma caixa de madeira engastada aberta e um "bibelot". Usa um vestido carmim com folhos de renda preta com punhos e colarinho brancos. O cabelo está apanhado em madeixas enroladas ao alto da cabeça. Em primeiro plano um cadeirão forrado a verde com uma capa azul e um chapéu preto de laço branco, aí deixados propositadamente. No fundo, a parede é forrada com papel de tipo inglês decorado com hexágonos alongados em tons de verde. Intimista e documental, esta obra evoca vivências da burguesia lisboeta, situação rara na pintura portuguesa, aproximando-a dos romances da época, de Júlio Dinis ou mesmo de Eça de Queirós.
Incorporação:
Transferência - Conselho de Arte e Arqueologia
Origem / Historial:
Pertenceu a D. João de Meneses. Adquirido pelo Legado Valmor ao pintor Luciano Freire em 1917-18. Integrado no antigo MNAC em 1919. Intervenções de conservação e restauro: - Em 1972, no Laboratório José de Figueiredo (processo nºrest.97/73). Tratamento: Protecção da camada cromática com verniz a retoucher, planificação por esticamento, limpeza do reverso e entretelagem com tela ELF16 e adesivo à base de cera Damar e Elemi (7:2:1), preenchimento de lacunas com massa de caulino e tonalização das lacunas e finalização com tinta de óleo e verniz.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica