MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 20 de janeiro de 2019    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional Machado de Castro
N.º de Inventário:
2519;P37A/B
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Ecce Homo (frente); Virgem, da Anunciação (costas)/ Tríptico da Paixão de Cristo
Autor:
Quentin Metsys (Lovaina, 1466 - Antuérpia, 1530)
Oficina / Fabricante:
Antuérpia
Datação:
1514 d.C. - 1517 d.C.
Suporte:
Madeira de carvalho do Báltico
Técnica:
Óleo
Dimensões (cm):
altura: 191; comprimento: 92;
Descrição:
Volante direito do Tríptico da Paixão de Cristo, de Quentin Metsys. Anverso: Representação do Ecce Homo. Em primeiro plano, ocupando a metade inferior da composição, um soldado e cinco judeus (fariseus), de braços semi-erguidos, injuriam Cristo. Uma varanda separa este plano do seguinte, onde se encontra um soldado romano vigiando atrás de Pilatos, que apresenta Cristo à multidão. Coroado de espinhos, enverga um manto apertado ao pescoço com atilhos, que abre deixando entrever o tronco nú e a parte superior do perisonium. Uma corda envolve-Lhe o pescoço e prende as mãos cruzadas junto ao peito. Num plano intermédio, à esquerda, adivinha-se um grupo de soldados pela representação das pontas das lanças e dos pendões. Por detrás deles, em fundo, o campanário da Catedral de Antuérpia. Reverso (ou costas): Em grisalha, a Virgem, da Anunciação, de pé, frontal, em atitude orante, cabelos longos e ondulados, em madeixas distribuidas sobre o manto, que cobre túnica simples e ampla com decote triangular. Encontra-se junto a um atril onde está pousado o Livro. No topo superior da composição, o arranque de um arco em ogiva enquadra a divina personagem. Moldura dourada e preta, simples, de manufactura recente.
Incorporação:
Transferência - Conventos extintos. Casa do Capítulo do Convento de Santa Clara [designada por Santa Clara-a-velha], Coimbra.
Origem / Historial:
*Forma de Protecção: classificação; Nível de Classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei nº 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; Nº 19/2006; 18/07/2006* Volante direito do Tríptico da Paixão de Cristo, encomendado na Flandres por D. Manuel I quando o feitor Silvestre Nunes se encontrava em Antuérpia (entre 1513 e 1517), foi por ele transportado em Setembro de 1517 e oferecido pelo rei para a Casa do Capítulo do Mosteiro de Santa Clara, em Coimbra. Quando as clarissas mudaram para o novo convento, a partir de 1677, esta tábua foi colocada, juntamente com o volante esquerdo (P37C/D) no coro-alto daquele cenóbio. Em Outubro de 1911 todos os elementos do Tríptico foram transferidos por António Augusto Gonçalves para as futuras instalações do Museu Machado de Castro.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica