MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 9 de agosto de 2020    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional dos Coches
N.º de Inventário:
HD 0036
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Pintura
Título:
Cortejo no Terreiro do Paço, Lisboa
Autor:
Ciríaco, José (? - ca. 1800)
Local de Execução:
Lisboa, Portugal.
Datação:
1794 d.C.
Suporte:
Tela.
Técnica:
Óleo.
Dimensões (cm):
altura: 45,4; largura: 94;
Descrição:
Vista do Terreiro do Paço em Lisboa tirada de poente, idealmente figurada segundo o projecto de Carlos Mardel. O alçado oriental é dominado pelo torreão de planta quadrangular, junto ao rio, encimado por cúpula verde e zimbório. A meio do alçado norte, perspectivado, quatro imponentes colunas clássicas servem de pés-direitos ao arco de triunfo. Este, é coroado por dois corpos pétreos escalonados: no primeiro, destaca-se um frontão angular, e no segundo rasgam-se arcos de volta perfeita. Cinco estátuas de vulto perfeito interrompem a platibanda que unifica o conjunto arquitectónico. A praça é dominada pela estátua equestre de D. José I, inaugurada em 1775, à frente da qual desfilam, no estuário do Tejo, inúmeras embarcações. Um cortejo de gala constituído por nove coches conduzidos por cocheiro e sota e puxados por duas parelhas, percorre a praça no sentido sul/norte. O coche real, identificado pela coroa que o encima, é seguido pela Guarda real a cavalo, envergando librés verdes e vermelhas. Ao centro do terreiro, junto ao arco de triunfo, um pelotão aguarda a passagem do cortejo, ao qual assistem inúmeras personagens perfiladas em primeiro plano. Com excepção do enquadramento arquitectónico, nesta composição predomina a mancha cromática sobre a linha de contorno, sendo aquela sugerida por pinceladas curtas e sobrepostas. Esta técnica, associada ao facto de o pintor trabalhar com pigmentos muito diluídos, confere à composição um aspecto fluido e "esfumado" que, de algum modo traduz a luminosidade tão características das zonas ribeirinhas da cidade. O quadro tem moldura de talha dourada, delimitada por friso relevado e livre de decoração. Está reproduzida numa estampa do MNC com nº IC 0071
Incorporação:
Afectação Permanente - Repartição das Equipagens Reais.Bens da Coroa.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica