MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
quarta-feira, 26 de junho de 2019    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu de Évora
N.º de Inventário:
ME 1511
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Fuga para o Egipto
Autor:
Círculo de Gerard David
Datação:
1495 d.C. - 1510 d.C.
Suporte:
Madeira de carvalho
Técnica:
Óleo
Dimensões (cm):
altura: 188; largura: 100;
Descrição:
A fuga para o Egipto foi contada por Mateus que nos diz que, em sonhos, um anjo teria advertido José que Herodes procurava o seu filho para o matar e ordenou-lhe que fugisse para o Egipto com Maria e Jesus devendo aí permanecer até á morte de Herodes. Em primeiro plano, a Virgem vai sentada sobre um burro cinzento, transportando o seu filho nos braços. O seu manto azul espalha-se sobre o dorso do animal e na orla tem uma inscrição com letras douradas. Por detrás do burro, José caminha num passo largo, apoiado na sua bengala, vestido de peregrino, com uma capa, um lenço a cobrir a cabeça e luvas nas mãos, e transportando um cesto pendurado num pão que apoia sobre o ombro. Por detrás, desenvolve-se uma paisagem e, do lado direito, foi colocada uma coluna de mármore com base e capitel dourados, sobre a qual se encontra uma estátua também dourada. A escultura representa um ídolo pagão, coberto com um chapéu pontiagudo, que segura um escudo com uma cabeça de leão e um estandarte. A estátua está partida em dois sítios e inclina-se, em queda, para o lado esquerdo. Ao fundo, uma paisagem que se desenvolve com bastante profundidade. Esta paisagem está dividida em duas, por uma elevação colocada ao centro, no cimo da qual se encontram várias árvores. Do lado esquerdo, os soldados de Herodes que vão em perseguição da Sagrada Família e um camponês em frente de um campo de trigo cena que, segundo Elizabeth Agius (Agius, 1987) retrata um cena bastante comum nas Fugas para o Egipto flamengas e, segundo a qual, os soldados ao passarem por um camponês perguntam-lhe se ele não terá visto passar o grupo em fuga. O camponês responde que o grupo terá passado enquanto ele semeava e, entretanto, miraculosamente, o trigo tinha crescido tão rápidamente que ele se preparava já para o ceifar. Isto leva os soldados a pensar que se terão enganado no caminho e decidem voltar para trás. Do lado esquerdo uma paisagem povoada por casas por entre as quais correm canais de água, que lembra uma paisagem flamenga.
Incorporação:
Transferência - Transferência da Biiblioteca Pública de Évora
Origem / Historial:
Quadro pertencente à colecção de D. Frei Manuel do Cenáculo (ver ficha de conjunto PINT ME 1501-13) * Forma de Protecção: classificação; Nível de Classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre o património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; N.º 19/2006; 18/07/2006 *
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica