MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 24 de março de 2019    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu de Évora
N.º de Inventário:
ME 1520
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Adoração dos Pastores
Autor:
Lopes, Gregório (n.1490?, f.1550)
Datação:
1544 d.C.
Suporte:
Madeira
Técnica:
Óleo
Dimensões (cm):
altura: 183; largura: 118;
Descrição:
Pintura em madeira com a parte superior em semí-círculo. A cena principal, que se passa num interior, inscreve-se num quadrado de altura semelhante à largura e por detrás uma arquitectura rica mas em ruínas que dá uma enorme profundidade ao quadro. No centro da composição S. José. do lado direito Nossa Senhora que, de mãos postas se inclina sobre o berço do seu filho. Este está deitado num leito de palhas, colocado sobre uns pés de madeira e emana uma intensa luminosidade. Do lado esquerdo dois pastores e alguns anjos em adoração do Menino. No canto inferior direito um grupo de anjos, que canta. Na parte superior, ao centro, um pórtico, com arco central ladeado por duas colunas e intensamente decorado. Quanto a esta decoração José Alberto Seabra faz a seguinte interpretação: "Com efeito, sobre o entablamento, trava-se um simbólico combate entre dois cupidos, armados com seus arcos e flechas, figuras de Eros e Anteros que na sua rivalidade espelham a dicotomia entre o amor carnal/cúpido e o amor espiritual/virtuoso, ou seja, uma dialéctica de confronto que se sintetizará no triunfo do amor sacro sobre o amor profano [...]. Ao centro, num nicho, uma figura de expressão feroz e atormentada cuja identificação significante apenas pode ser conjecturada: Hércules, imagem de Virtude e prefigura de Cristo segundo a interpretação cristã (agostiniana ) do seu mito ?. [...]" (Carvalho, 1988-93). A pintura é rica em pormenores e em cor. Ao nível da luz há um tratamento muito cuidado: a luz emana da figura do Menino iluminando toda a cena, criando um intenso jogo de luz e sombras e modelando as formas.
Incorporação:
Outro
Origem / Historial:
* Forma de Protecção: classificação; Nível de Classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre o património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; N.º 19/2006; 18/07/2006 * Este painel, juntamente com o "Calvário" (ME 1521) e a "Ressurreição de Cristo" (ME 1522), formava o conjunto pintado por Gregório Lopes para os três altares da Igreja do Bom Jesus de Valverde, por encomenda do Cardeal D. Henrique. Dentro da igreja este painel ficava no altar do lado da Epístola, o "Calvário" no altar principal e a "Ressurreição" no lado do Evangelho pois os painéis distribuiam-se segundo uma sequência narrativa adequada à circulação interna do espaço. Por despacho de Maio de 1929, do Ministro da Instrução, o Director da Escola Regional de Agricultura entrega os quadros ao Museu de Évora a 13 de Junho desse ano.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica