MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 17 de fevereiro de 2019    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional de Arqueologia
N.º de Inventário:
Au 1177
Supercategoria:
Arqueologia
Categoria:
Numismática
Denominação:
Denário com cabeça de Apolo e Minerva
Local de Execução:
Roma
Oficina / Fabricante:
ROMA
Datação:
90 a.C. - Época Romana
Matéria:
Prata
Técnica:
Cunhagem
Dimensões (cm):
altura: .;
Descrição:
Anverso: Cabeça de Apolo, à direita, atrás: PANSA. À volta rebordo ponteado. Reverso: Minerva numa quadriga, à direita, segurando lança e rédeas com a mão esquerda. No exergo: C.VIBIVS.C.F.
Incorporação:
Compra - Por intermédio de Henrique Botelho.
Proveniência:
Guiães, Vila Real
Origem / Historial:
*Forma de Protecção: classificação; Nível de Classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre o património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei nº 107/2001, de 8 de Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei nº 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; nº 19/2006; 18/07/2006* Segundo a notícia publicada no "O Arqueólogo Português" (OAP, Vol. XV, 1910) este tesouro foi encontrado numa vinha da povoação de Guiães, concelho de Vila Real, pertencente ao Sr. José Carlos Rodrigues. Trata-se de um achado fortuito ocorrido em de cerca de 31 de Outubro de 1908, no decurso de trabalhos agrícolas. A peça encontrava-se dentro de uma taça ( Au 101) juntamente com algumas centenas de denários da época republicana, dez dos quais, recuperados, integram também o acervo do MNA. Os denários estão datados de entre 91 a.C. e 32-31 a.C.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica