MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 25 de agosto de 2019    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu de Évora
N.º de Inventário:
ME 1737
Supercategoria:
Arqueologia
Categoria:
Escultura
Denominação:
Santíssima Trindade
Autores:
Mestre Pero
Desconhecido
Local de Execução:
Portugal, (Évora?)
Oficina / Fabricante:
Mestre Pêro
Datação:
XIV d.C. - XV d.C.
Matéria:
Pedra de Ançã
Técnica:
Pedra esculpida e policromada
Dimensões (cm):
altura: 138; largura: 42; espessura: 33;
Descrição:
Imagem representando a Santíssima Trindade, com Deus pai, sentado, de cabelos compridos, nariz afilado, barba dividida ao meio sobre o queixo, em dois longos anéis. As vestes marcam os joelhos, em grandes pregas, e deixam entrever os dedos do pé direito. Com as mãos ergue o Cristo Crucificado, já morto, com o tronco e a cabeça fletidos para frente, as pernas voltadas para a esquerda e os pés sobrepostos. Na parte superior da cruz pousa a pomba do Espírito Santo. "Deus Pai sentado, segurando o crucifixo com o Filho morto e a pomba do espirito santo. A figura de Deus pai é algo rígida e solene, lembrando pela frontalidade e hieratismo, certas figurações de Cristo em Magestade dos timpanos românicos. Esta rigides é, no entanto, compensada pelo tratamento bastante livre dos panejamentos."(Arte Portuguesa,Vol. 4, p. 25)
Incorporação:
Transferência - Convento de São Domingos (Camara Municipal de Evora)
Proveniência:
Convento de São Domingos.
Origem / Historial:
Após a extinção das ordens religiosas, em 1834, e a consequente demolição do Convento de São Domingos de Évora, esta imagem foi transferida para o Convento dos Remédios, pertencente a Camara Municipal de Evora, e deste último para o Museu de Évora. A iconografia da Santissima Trindade, com Deus Pai sentado no trono a sustentar o Cristo morto com a pomba do Espirito Santo é muito semelhante à triologia da Trindade difundida em Portugal na Idade Média. Porém, o alongamento das proporções, a frontalidade e a estaticidade da composição transmitem a memória do Cristo Pantocrator, dominante nos ciclos narrativos dos tímpanos e portais romanos. À sua figura aparentemente estática e insensível contrapõem-se a sua postura majestosa, cabeça alta e livre e a sensibilidade demonstrada pela posição das vestes. Em contraste com a figura rigida do Pai, o Filho tem o corpo levemente curvado, que representa a posição natural do corpo sacrificado e abandonado na hora da morte.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica