MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 23 de janeiro de 2022    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional de Arqueologia
N.º de Inventário:
E 45
Supercategoria:
Arqueologia
Categoria:
Epigrafia
Denominação:
Inscrição funerária
Título:
Coleção Egípcia
Local de Execução:
Egipto
Centro de Fabrico:
Região tebana
Datação:
XIII a.C. - Império Novo
Matéria:
Arenito ( de grão fino)
Técnica:
Talhe e escultura.
Dimensões (cm):
altura: 38; largura: 27;
Descrição:
Fragmento informe, com duas figuras em pose de veneração, viradas à esquerda, já sem as pernas, tendo por cima um texto hieroglífico incompleto que se distribui por cinco linhas verticais separadas por traços incisos. O presente fragmento lítico exibe um texto incompleto, mas ainda assim se fica a saber que o nome do funcionário nele representado é Ipi, o qual desempenhou em vida o cargo de chefe dos copeiros (ou, como já foi traduzido, chefe dos despenseiros). O zeloso Ipi, cuja barriga esguia não condiz muito com as benesses e adiposidades que se esperariam de tão influente cargo, apresenta-se em pose de veneração perante uma divindade que já desapareceu na imagem. O "imirá ubau" Ipi fez-se representar com a calva polida e um elegante saiote de linho típico dos funcionários do período raméssida, o que em muito contribui para a datação da peça finamente esculpida e infelizmente fragmentada. Atrás dele encontra-se a sua esposa, exibindo farta cabeleira e um vestido de linho de longas mangas plissadas, também ela em pose de veneração à divindade que estaria à esquerda e da qual resta apenas uma mão e o longo ceptro "uas" que segurava. Quanto ao texto, distribuído por cinco colunas, importará referir a solicitação de um belo túmulo, "ahat nefert", situado na região tebana, ou, de acordo com o texto da segunda linha, "em khenu en Uaset", que é como quem diz, à letra,"no interior de Tebas". Segue-se depois a tradicional fórmula de atribuição ao defunto: "en ka en". A dama é apresentada com o tradicional (e muito actual) título de nebet per, ou seja, dona de casa, traduzindo um título honorífico e quiçá teórico, mas não deixando de aludir à importância que a mulher tinha na sociedade egípcia.
Incorporação:
Transferência - Palácio das Necessidades
Proveniência:
Desconhecido
Origem / Historial:
Esta peça veio do Palácio das Necessidades (1949). Exposta na " Sala do Egipto" até 1980
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica