MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
sábado, 21 de maio de 2022    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional de Arqueologia
N.º de Inventário:
988.3.25
Supercategoria:
Arqueologia
Categoria:
Epigrafia
Denominação:
Ara a Endovélico por Iulia Maxuma
Datação:
I d.C. - Época Romana
Matéria:
Mármore branco do tipo Estremoz / Vila Viçosa
Dimensões (cm):
altura: 58; largura: 29; espessura: 22;
Descrição:
"Ara com moldura sob a cornija e na base; plinto liso; no topo apresenta uma cavidade quadrangular. A inscrição apresenta uma paginação cuidada, respeitando a lógica interna do texto, com alinhamento à direita e à esquerda; a pontuação é feita por "hederae". Dedicatória a ENDOVELLICVS; o teónimo é expresso na sua forma mais comum e bem destacado, em letras de módulo maior. A onomástica e filiação da dedicante são latinas; apresenta uma conjugação muito vulgar entre gentilício e cognome - Iulia Maxuma -, aliás patente noutra invocação a Endovélico sensivelmente contemporânea ( o que não significa, mas também não impede, que se trate da mesma devota). (J.C.Ribeiro, 2002, cat. 56) ENDO / VELLICO / IVLIA (hedera) P(ublii) (hedera) / MAXVMA / V(otum) (hedera) S(olvit) (hedera) L(ibens) (hedera) A(nimo) (hedera) // Tradução: A Endovellicus, Iulia Maxuma, filha de Publius, o voto cumpriu de bom grado.
Incorporação:
Outro - Mandato legal. Escavações de J.L.Vasconcelos
Proveniência:
S. Miguel da Mota
Origem / Historial:
O Santuário do Deus Endovélico situa-se no Monte de S. Miguel da Mota, Alandroal. Nesse local havia as ruínas de um templo cristão, cujos alicerces e paredes eram em parte constituídos por pedras pertencentes ao santuário de Endovélico, tais como aras, estatuetas, bases de estátuas e de aras. No Entrudo de 1890 José Leite de Vasconcelos deslocou-se a S. Miguel da Mota e obteve do dono da herdade, Sr.Manuel Inácio Belo a necessária autorização para iniciar os trabalhos arqueológicos. Nessa altura recolheu algumas peças, que trouxe para a Bilblioteca Nacional de Lisboa, onde, à data, era Conservador. Verificou no entanto que era necessário proceder à desmontagem do edificio para se poderem recolher as melhores peças. Participou tal facto ao Inspector Geral dos arquivos e bibliotecas públicas do reino, Sr. António Ennes, que conseguiu autorização do Ministro do Reino que mandou fazer a exploração arqueológica. Foi José Leite de Vasconcelos encarregado desse trabalho, que iniciou na Páscoa desse mesmo ano. Trouxe cerca de 200 lápides (elementos arquitetónicos, fragmentos, etc.) que se depositaram na Biblioteca Nacional e foram daí transferidas para o Museu.

Título

Local

Data Início

Encerramento

N.º Catálogo

Religiões da Lusitania. Loquuntur saxa

Museu Nacional de Arqueologia

2002-06-27

 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica