MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
segunda-feira, 11 de dezembro de 2023    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu da Música
N.º de Inventário:
MNM 1542
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Pintura
Denominação:
Retrato de António Lamas
Centro de Fabrico:
Portugal, Lisboa
Datação:
1915
Dimensões (cm):
altura: 92; largura: 80;
Descrição:
Óleo s/ tela de Carlos Reis representando António Lamas com viola de Amor (MNM 1543) Retrato a óleo, inacabado, 57x70cm; moldura de época, de madeira ornada com cercadura de rosas entalhadas, enlaçadas com fita, 79x93 cm; ded.:"á memória do/ saudoso artista e amigo/ Atnónio Lamas/ Carlos Reis/ 1915
Incorporação:
Legado - LEGADO ELISA LAMAS (1926-2021) Viola de Amor que pertenceu a António Lamas Caixa do instrumento musical Interior da caixa: 4 arcos Documentação diversa relacionada com a viola de amor e os arcos 3 queixeiras Cordas 3 panos de cobertura de estojo Pintura a óleo de Carlos Reis representando António Lamas com a viola de amor (92x80 cm)
Origem / Historial:
O retrato foi pintado por Carlos Reis nos últimos tempos de vida de António Lamas. O pintor, seu amigo pessoal, foi surpreendido com a morte de Lamas antes de acabar a obra. Por esse motivo o quadro está inacabado, sendo visível o esboço a carvão da parte inferior do retrato. Lamas foi proprietário da segunda maior colecção de instrumentos musicais em Portugal e, embora já coleccionasse estes objectos às vésperas da républica, reuniu o grosso da sua colecção, que atingiu cerca de 90 peças, a partir de 1910. A colecção Lamas distinguiu-se, principalmente, por causa dos cravos de factura portuguesa. Após a sua morte foi dispersa, vendida em leilão. (Ana Paula Tudela in Catálogo Tempos e Contratempos) As peças deixadas em testamento ao Museu Nacional da Música pela grande pedagoga e pianista Elisa Lamas têm inegável valor organológico, artístico, histórico e documental, pela qualidade, raridade e importância que têm para esta colecção, e também por terem pertencido a um dos fundadores do actual acervo do museu, António Covacich Lamas (1861-1915). Lamas, músico amador com enorme talento, foi também um dos primeiros portugueses a colecionar instrumentos musicais (tinha c. 100 exemplares, entre os quais cravos portugueses) e era, segundo Lambertini, bastante zeloso na sua conservação. Pertenceu à Sociedade de Música de Câmara e à Grande Orquestra Portuguesa, tendo, de 1906 a 1908, juntamente com Michel Angelo Lambertini, organizado um ciclo pioneiro de concertos com instrumentos históricos, onde tocava a viola de amor que agora a testadora nos deixou. A sua história, assim como a da Testadora, é indissociável da vida musical portuguesa do séc. XX. Relativamente ao retrato do pintor Carlos Reis, a Testadora terá doado o quadro ao Museu Instrumental do Conservatório Nacional em 1944. Após a extinção do Museu Instrumental, a doadora terá tido direito ao usufruto da peça, que é agora incorporada na colecção do MNM.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica