MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 23 de janeiro de 2022    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional de Arqueologia
N.º de Inventário:
16156
Supercategoria:
Arqueologia
Categoria:
Vidros
Denominação:
Unguentário
Grupo Cultural:
Romano
Datação:
I d.C. - III d.C. - Época Romana
Matéria:
Vidro
Técnica:
Soflagem
Dimensões (cm):
altura: 13,8; espessura: 0,1; diâmetro: 8,9;
Descrição:
Unguentário tipo Isings 82 A2. Vidro transparente, verde/gelo, com muitas bolhas de ar e impurezas negras. Reservatório triangular, baixo; fundo côncavo; gargalo alto e cilíndrico; bordo repuxado para fora e revirado depois para dentro. Este peça provém de um espólio de uma sepultura de incineração. (Segundo Alarcão, 1968).
Incorporação:
Doação - Oferecido pelo Sr. Barão de Almeirim
Proveniência:
Pombalinho. Sepultura de incineração descoberta em Pombalinho.
Origem / Historial:
*Forma de Protecção: classificação; Nível de Classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre o património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei nº 107/2001, de 8 de Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei nº 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; nº 19/2006; 18/07/2006* Esta peça faz parte do espólio de uma sepultura de incineração descoberta casualmente em Pombalinho (Santarém), em 1898, aquando da edificação de lagares e adegas. Foi doado pelo Sr. Barão de Almeirim.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica