MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
quinta-feira, 7 de julho de 2022    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional de Arqueologia
N.º de Inventário:
Au 290
Supercategoria:
Arqueologia
Categoria:
Ourivesaria
Denominação:
Bracelete
Datação:
Idade do Bronze Final
Matéria:
Ouro
Suporte:
Lingote
Técnica:
Fundição e martelagem
Dimensões (cm):
espessura: 1,3; diâmetro: 8,7;
Descrição:
Bracelete de aro elipsoidal aberto, maciço e liso, de secção circular, adelgaçando do centro para as extremidades, que se encontram afastadas. Apresenta terminais em forma de botão cónico, cuja base é formada por um anel saliente, de perfil rectangular e com arestas boleadas.
Incorporação:
Compra - Pelo dir. Manuel Heleno à Câmara Municipal de S.Pedro do Sul.
Proveniência:
Nossa Senhora da Guia.
Origem / Historial:
*Forma de Protecção: classificação; Nível de Classificação: interesse nacional; Motivo: Necessidade de acautelamento de especiais medidas sobre o património cultural móvel de particular relevância para a Nação, designadamente os bens ou conjuntos de bens sobre os quais devam recair severas restrições de circulação no território nacional e internacional, nos termos da lei nº 107/2001, de 8 de Setembro e da respectiva legislação de desenvolvimento, devido ao facto da sua exemplaridade única, raridade, valor testemunhal de cultura ou civilização, relevância patrimonial e qualidade artística no contexto de uma época e estado de conservação que torne imprescindível a sua permanência em condições ambientais e de segurança específicas e adequadas; Legislação aplicável: Lei nº 107/2001, de 8 de Setembro; Acto Legislativo: Decreto; nº 19/2006; 18/07/2006* Na freguesia dos Baiões, concelho de S.Pedro do Sul, num castro, onde se encontra localizada a ermida de Nossa Senhora da Guia e próximo desta, acharam, em 1947, uns trabalhadores que abriam uma estrada, três jóias de ouro, proto-históricas, que ficaram na posse da Câmara Municipal de S.Pedro do Sul. Após alguns anos de diligências por parte do director do Museu (Manuel Heleno), foi finalmente inscrito no Orçamento do Ministério da Educação Nacional para o ano de 1952, a verba de 60.000$ para a compra àquela edilidade das três jóias.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica