MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
terça-feira, 19 de outubro de 2021    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Museu Nacional de Arqueologia
N.º de Inventário:
2006.355.4268
Supercategoria:
Arqueologia
Categoria:
Escultura
Denominação:
Fragmento escultórico representando um tronco de árvore
Datação:
III d.C. - IV d.C. - Época Romana
Matéria:
Mármore
Dimensões (cm):
altura: 19,2; largura: 17;
Descrição:
Fragmento escultórico representando um tronco de árvore. Apresenta um tronco central, mais espesso, com duas ramificações de pequenos troncos e folhas, que poderão ser de carvalho, sobreira ou azinheira. Faz parte de um conjunto de dezenas de fragmentos de elementos vegetalistas e de pequenas estátuas. Pelo número e variedade de fragmentos, uma outra hipótese de trabalho não deve ser excluída. Poderão pertencer à estilização de uma árvore em mármore, que forraria uma parede, talvez a parede da cascata no topo sul do ninfeu da "domus" da "villa" e que representaria um bosque a julgar pelas diferentes espécies presentes. Se esta hipótese se confirmasse, essa árvore de mármore constituiria possivelmente um cenário onde se disporiam um conjunto de esculturas na cascata existente no "ninfeu" e por onde circularia a água que corre pelo canal subterrâneo que a liga ao "impluvium" do peristilo.
Incorporação:
Outro - Depósito temporário.
Proveniência:
Quinta das Longas
Origem / Historial:
Peça descoberta durante a 9ª campanha de trabalhos arqueológicos na Villa Romana de Quinta das Longas, no Verão do ano 2000. Um dos mais impressionantes traços da singularidade desta villa evidenciou-se com a descoberta de um grupo escultórico composto por várias figuras quase completas e cerca de uma centena de fragmentos. As peças faziam parte de um vasto conjunto que adornava uma área de um pátio pavimentado a mármore e a xisto, sobranceiro a uma linha de água, que limitaria a norte a Pars urbana da Villa. O conjunto estava incluido numa cascata artificial adoçada à parede meridional do referido pátio e/ou sobre o alpendre construído no centro deste compartimento apresentando como elemento unificador uma frondosa ramagem que perpassava por detrás de toda a cena, ligando-se às esculturas, sendo raras aquelas que não apresentam marcas da ligação a esse fundo vegetalista.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica