MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
domingo, 23 de janeiro de 2022    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Palácio Nacional da Pena
N.º de Inventário:
PNP288
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Vidros
Denominação:
Galheta
Autor:
Autor não identificado
Centro de Fabrico:
Catalunha (?)
Datação:
Século XVI ou XVII
Matéria:
Vidro
Técnica:
Vidro soprado no maçarico
Dimensões (cm):
altura: 8,5; largura: 7; profundidade: 5;
Descrição:
DESCRIÇÃO FÍSICA: Galheta em vidro de tonalidade cinza-castanho com asa. O bordo é bastante afunilado e apresenta cercadura em torno do gargalo. * * * ENQUADRAMENTO HISTÓRICO-ARTÍSTICO:Galheta é a designação dada a um recipiente para azeite ou vinagre. A origem desta tipologia de objecto poderá residir no ritual litúrgico, onde as galhetas eram utilizadas para colocar vinho, água ou óleos (THEUERKAUFF-LIEDERWALD 1994, p. 386). Terá sido nos territórios italianos que a galheta passou do altar das igrejas para a mesa das casas particulares. No entanto, existe ainda a hipótese destes objetos estarem relacionados com equipamento de boticários, que usavam estes recipientes para dosear os líquidos (o bordo afunilado facilitava a introdução do líquido e o bico estreito controlava o vazamento). * * * A produção de galhetas de vidro está documentada a partir do século XIV em Itália, de onde se terá estendido a outros centros vidreiros. Ao longo do século XVI e XVII são produzidas galhetas à la façon de Venise na Catalunha e no Sul de França. No entanto, a produção veneziana deste tipo de objeto subsiste até ao século XVIII, adotando, em muitos casos, elementos decorativos complexos que estavam ausentes nas peças mais antigas (THEUERKAUFF-LIEDERWALD 1994, pp. 386-392). * * * Um dos principais aspetos diferenciadores da produção veneziana do século XVI reside na tipologia do vidro. Com efeito, a descoberta em Veneza (ou mais concretamente, Murano), durante o século XV, do cristallo, um vidro de grande qualidade, muito leve, fino e praticamente transparente, alargou o fosso entre a produção veneziana e a dos outros centros vidreiros europeus. No entanto, apesar de várias medidas restritivas, a pressão exercida pelas cortes estrangeiras acabou por levar à saída de mestres vidreiros para outras partes do continente, onde começaram a produzir vidro ao estilo de Veneza (à la façon de Venise). O patamar de elevadíssima qualidade que foi possível atingir em muitas destas oficinas torna, muitas vezes, difícil a tarefa de distinguir esta produção da do Adriático (TAIT 1991, pp. 156-178; Klein e Lloyd 1984, pp. 67-82). * * * INTERPRETAÇÃO DO OBJETO: A galheta PNP288 apresenta afinidades formais com peças da mesma tipologia produzidas em Veneza ou à la façon de Venise nos séculos XVI e XVII. No entanto, a tonalidade cinza-castanha do vidro revela dificuldades em eliminar tingimentos provocados por impurezas na pasta vítrea, o que coloca de parte a origem veneziana da peça, já que, por esta altura, os mestres vidreiros de Murano já conseguiam dominar a técnica do cristallo. Acrescente-se que peças idênticas a esta existem na coleção da Fortaleza de Coburgo, cuja produção tem sido atribuída à Catalunha.
Incorporação:
Transferência - Coleções Reais - Palácio da Pena, 1910
Origem / Historial:
Não existe documento de integração deste objecto, pelo que poderá ter feito parte da colecção original de D.Fernando II. Este objeto poderá corresponder a uma de: “Duas galhetas de vidro antigas” do Inventário de 1911 do Palácio de Pena e à descrição “Duas bilhas” do Inventário de 1887 do Palácio da Pena.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica