MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
terça-feira, 25 de janeiro de 2022    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE INVENTÁRIO
Museu:
Palácio Nacional da Pena
N.º de Inventário:
PNP37
Supercategoria:
Arte
Categoria:
Cerâmica
Denominação:
Prato
Autor:
Autor não identificado
Centro de Fabrico:
Manises, Levante espanhol
Datação:
XVI d.C. - XVII d.C.
Matéria:
Faiança vidrada de lustro metálico
Dimensões (cm):
altura: 6,6; largura: 27,8; profundidade: 27,7;
Descrição:
Prato de faiança de formato circular com pé. Em todo o prato inscrevem-se sete depósitos côncavos circulares cujo objetivo era o transporte de lamparinas; pensa-se ser um tipo de objeto utilizado em contexto religioso. Sobre fundo branco foram pintados elementos vegetalistas a vermelho-ferro, com reflexos metálicos.
Incorporação:
Transferência - Coleções Reais, Palácio da Pena, 1910
Origem / Historial:
Pertenceu a D. Fernando II. Identifica-se numa estereoscopia de Carlos Relvas da galeria superior do claustro deste palácio (c. 1867), exposto numa das estantes então existentes, junto a outras cerâmicas hispano-muçulmanas reunidas pelo monarca. Em 1939, foram maioritariamente transferidas por decisão do arq. Raul Lino, na qualidade se superintendente dos palácios nacionais, para o Palácio Nacional de Sintra. Escaparam a esta transferência este prato e um outro (PNP313) por se encontrarem à data em reserva, como dá a a conhecer em 1940 o relatório n.º 27 do conservador do palácio: "Guardados em arrecadação, existem, neste palácio, dois pratos, faiança hispano-árabe, fins do século XI [erro], que passo a descrever: (...) 2.º prato, com 27 centímetros de diâmetro, tendo, além de pé, sistema fruteira, sete concavidades redondas, para colocação de taças, que serviam para conter água sagrada de Meca, e, ainda, pinturas de fantasia, a branco, sôbre fundo castanho-ouro. (...) O Execelentíssimo Senhor Director Geral determinará se os dois pratos (...) que agora ficam identificados, devem manter-se neste Palácio ou seguir para o de Sintra, que, por proposta do Senhor Superintendente, recebeu a louça hispano-árabe que pertencia à Pena". (Arquivo do PNP, Movimentação de Objetos).
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica