MatrizNet

 
Logo MatrizNet Contactos  separador  Ajuda  separador  Links  separador  Mapa do Site
 
quarta-feira, 29 de junho de 2022    APRESENTAÇÃO    PESQUISA ORIENTADA    PESQUISA AVANÇADA    EXPOSIÇÕES ONLINE    NORMAS DE INVENTÁRIO 

Animação Imagens

Get Adobe Flash player

 


 
     
     
 
FICHA DE EVENTO
Museu:
Museu Nacional de Arqueologia
Tipo:
Exposição
Denominação:
A Idade do Bronze em Portugal - discursos de poder
Datação:
1995 - 1996
Local:
Museu Nacional de Arqueologia
Descrição:
A presente exposição abre ao público durante a promoção dum Plano Europeu de Arqueologia, patrocinado pelo Conselho da Europa, destinado a divulgar a Idade do Bronze europeia, nas suas várias vertentes, plano esse denominado "A Idade do Bronze: a primeira idade do ouro da Europa". Articulando-se com o espírito e objectivos desse programa cultural, a exposição portuguesa pretende não só dar a conhecer alguns dos aspectos deste período da Pré-História recente do nosso território, como também propor uma reflexão sobre a natureza dos processos de integração social das comunidades da Idade do Bronze em amplos sistemas de intercâmbio. De facto, é durante a chamada Idade do Bronze (2º milénio /inícios do 1º milénio a.C.), sobretudo na sua fase final, que o território que é hoje Portugal se conecta, pela primeira vez de forma estruturada - através de complexos mecanismos de interacção social e política - com a Europa de além - Pirinéus. Face à importância histórica de tal processo, a investigação tem tentado captar o "rosto" das estruturas sociais e políticas que terão permitido a eclosão dum fenómeno de tal dimensão cultural. Neste sentido, uma das abordagens de ponta incide sobre o reconhecimento das formas de poder que, durante este período, em particular durante o Bronze Final (c. 1200 a.C. a c. 700 a.C.), terão criado as condições indispensáveis à emergência de interdependências e "solidariedades" supra-regionais de âmbito europeu. Tendo em conta este quadro problemático geral, a Exposição sobre a Idade do Bronze em Portugal polarizou-se em torno de uma questão central, a partir da qual se desenvolveram diversas estratégias de abordagem. A questão central reporta-se à "reconstituição", em função da documentação arqueológica disponível, dos espaços de exibição do poder, durante o 2º milénio /inícios do 1º milénio a.C., no território português. O tratamento deste tema assume, nesta Exposição, a aceitação duma acentuada descontinuidade cultural entre o que se convencionou chamar Bronze Antigo/Médio e o Bronze Final (por volta de c. 1300/1200 a.C.) no que toca a diversas formas de ostentação do poder por parte das elites da época.
 
     
     
   
     
     
     
 
Secretário Geral da Cultura Direção-Geral do Património Cultural Termos e Condições  separador  Ficha Técnica